Negócios

Cade aprova sem restrições a aquisição da Avon pela Natura

0

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a aquisição da Avon pela Natura (NATU3). O comunicado sobre a negociação foi enviado pela empresa brasileira, nesta quarta-feira (6), à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Segundo a Natura, a decisão será publicada no Diário Oficial da União (DOU) na próxima quinta-feira (7). A negociação entre as duas empresas foi aprovada pelo órgão regulador sem restrições. A Avon foi avaliada em US$ 3,7 bilhões.

“A decisão não será final até que seja publicada no ‘Diário Oficial da União’, e decorrido o prazo de 15 dias a contar de tal publicação, para eventuais recursos, nos termos da legislação aplicável”, comunicou a empresa de cosméticos brasileira.

A venda ainda deverá ser aprovada por autoridades que defendem a concorrência. Além disso, está sujeita ao cumprimento de outras condições precedentes.

“As companhias manterão seus acionistas e o mercado informados a respeito da consumação das demais condições precedentes e fatos subsequentes relacionados à Transação na forma da lei e da regulamentação da CVM”, diz o comunicado.

Em meio ao anúncio da aprovação da venda, as ações da Natura, sob o ticket NATU3, encerraram em alta de 4,67%. Os papéis são negociados a R$ 31,61.

Custo da união com a Avon

No mês passado, a Natura informou que todo o processo de aquisição e integração da Avon custará em média R$ 349 milhões. O montante inclui as avaliações, publicações e assessoria jurídica.

Saiba mais: Natura informa que custo de união com Avon será de R$ 349 milhões

De acordo com a empresa brasileira, o faturamento anual da empresa após a compra da Avon será superior a US$ 10 bilhões (cerca de R$ 40 bilhões). O processo de desenvolvimento da nova holding será dividido em etapas, duas consistem na integração da empresa americana.

“A restruturação societária é oportuna para que a Natura Cosméticos passe a ser detida pela Natura&Co, viabilizando a subsequente integração da base acionária e das operações da Avon, sem que isso resulte em incremento dos índices de endividamento da Natura”, comunicou a empresa.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Almeida
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.