C&A (CEAB3) anota prejuízo de R$ 192,1 milhões no 2T20

C&A (CEAB3) anota prejuízo de R$ 192,1 milhões no 2T20
A receita líquida da C&A caiu 76,6% no segundo trimestre desse ano, na comparação anualizada.

A C&A (CEAB3) divulgou nessa quarta-feira (19) seus resultados do segundo trimestre de 2020. A varejista de moda teve prejuízo de R$ 192,1 milhões no período, revertendo o lucro líquido de R$ 25,8 milhões que anotou na mesma época em 2019.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

No documento, a C&A salientou que seu prejuízo pró-forma no período ficou em R$ 181,6 milhões, ante lucro de 29,1 milhões no segundo trimestre de 2019.

A receita líquida da varejista, por sua vez, ficou em R$ 294,5 milhões entre abril e junho desse ano, com uma queda de 76,6% em relação ao trimestre equivalente em 2019.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

Já o Ebitda (Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) ajustado fechou junho com um saldo negativo de R$ 114 milhões, contra R$ 214,6 milhões positivos no segundo trimestre de 2019. A margem Ebitda passou de 17% no fim de junho do ano passado, para -38,7%.

Além disso, o documento informou que as Vendas nas Mesma Lojas (SSS) da companhia tiveram um recuo de 78,8 ponto percentual na comparação anual, ficando em -77%.

C&A explica resultados

A varejista explicou que “o resultado do trimestre é consequência da realidade dura que enfrentamos, com impacto sem precedente nas receitas em função do fechamento de todas as lojas e nosso melhor esforço em reduzir as despesas da Companhia para minimizar o prejuízo. Durante todo o trimestre mantivemos negociações com provedores, principalmente os relacionados a operação das lojas, para postergar e reduzir pagamentos”.

A companhia ainda destacou que “este momento foi para C&A Brasil uma ruptura, uma janela de oportunidade. Nossa evolução na transformação digital foi radical. Intensificamos a entrega de nossa estratégia de ser a plataforma completa para nossa cliente se expressar por meio da moda oferecendo diferentes canais, formatos e conteúdo”.

Segundo a varejista, o resultado dessa evolução na transformação digital, levou ao crescimento de vendas do e-commerce. O resultado também puxou a receita líquida online da C&A, que cresceu 356% na comparação anual, chegando a R$ 139,6 milhões.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião