British Airways cortará salários para conter demissões em meio à crise

British Airways cortará salários para conter demissões em meio à crise
British Airways cortará salários para conter demissões em meio à crise

A proposta da British Airways em estabelecer cortes salariais temporários de 20% foi aceita pelos colaboradores da companhia na noite da última sexta-feira (31). Além disso, será colocado em prática um plano de desligamento de 270 funcionários, em meio à crise gerada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com o sindicato British Airline Pilots Association (Balpa), 80% dos funcionários da British Airways foram favoráveis ao plano. A proposta prevê a queda da redução dos salários para 8% em dois anos, voltando ao patamar normal no longo prazo.

“Nossos membros tomaram uma decisão pragmática dadas as circunstâncias, mas o fato de que tenhamos fracassado em persuadir a British Airways a evitar demissões forçadas representa uma amarga decepção”, declarou o secretário-geral da Balpa, Brian Strutton.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro para trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

A empresa aérea, que possui 4,3 mil pilotos, inicialmente pretendia demitir 1.255 pilotos, voltando a realizar novas contratações com condições menos favoráveis posteriormente. A filial do grupo IAG, constituída pelas espanholas Iberia e Vueling, entre outras, estimou no final de abril a demissão de um total de 12 mil funcionários, ou seja, 25% do total da força de trabalho da empresa.

O setor aéreo é um dos mais impactados pela pandemia e suas medidas de isolamento social com o objetivo de contenção da disseminação do vírus.

A Avianca Brasil, por exemplo, teve sua falência decretada no dia 14 de julho. Em recuperação judicial desde dezembro de 2018 e sem operar desde maio de 2019, a situação da empresa foi agravada pelas condições do mercado em que atua. A medida foi tomada após o pedido da própria empresa, que possuía dívidas na casa dos R$ 2,7 bilhões.

A Latam, uma das companhias que mais sentiu o impacto da crise, informou, na última sexta-feira (31), que irá iniciar um processo de demissão em massa, de, no mínimo, 2,7 mil pilotos e comissários, volume equivalente a 38% do total de tripulantes.

A aérea, que também está em recuperação judicial, emprega cerca de 2 mil pilotos e 5 mil comissários. Segundo a companhia, serão realizados cortes temporários nos salários dos colaboradores, com o intuito de equilibrar seus custos com os das concorrentes e, com isso, se antecipar a uma maior disputa no mercado.

Veja também: Coronavírus causará queda 39% no PIB do turismo, segundo FGV

Embora os impactos da crise permaneçam pairando sobre a British Airways, a companhia voltou a voar para o Brasil neste domingo (2). Os voos que ligam São Paulo (Guarulhos) e Londres (Heathrow) serão realizados, inicialmente, três vezes por semana.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião