Política

Brasil e Índia alcançam acordo para dobrar comércio bilateral

0

O Brasil e a Índia alcançaram um acordo para dobrar o comércio bilateral. Os dois gigantes econômicos anunciaram a intenção de aumentar o comércio para US$ 15 bilhões até 2022.

Em um comunicado conjunto divulgado neste sábado pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, e por seu homólogo indiano, Narendra Modi, foi incluída a meta de dobrar o comércio bilateral. O acordo foi alcançando durante a visita oficial de Bolsonaro na Índia.

O presidente brasileiro tinha salientado no começo do dia que as expectativas indicavam uma melhora no relacionamento comercial bilateral entre os países. Bolsonaro chegou a citar o valor de US$ 50 bilhões em três anos como possível meta. Entretanto, segundo a delegação brasileira esse valor deveria ser alcançado em alguns anos.

Atualmente Índia é o quarto maior parceiro comercial do Brasil no continente asiático. Em 2019 o fluxo comercial bilateral atingiu US$ 7 bilhões. Desse total, as exportações brasileiras alcançaram US$ 2,76 bilhões e
as importações de produtos indianos chegaram a um montante de US$ 4,26 bilhões.

Aumentar comércio e investimentos com a Ìndia

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o objetivo não é apenas aumentar o comércio bilateral, mas também potenciar os investimentos brasileiros na Índia e indianos no Brasil.

Saiba mais: Bolsonaro assinará acordos comerciais na Índia, afirma embaixador

A Índia já participa do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), em particular no setor da transmissão de energia elétrica. Os investimentos indianos previstos estão na ordem de R$ 7 bilhões.

Para o chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, há uma forte vontade política em multiplicar o acordo de preferência tarifária entre o Mercosul e a Índia. O tratado atualmente inclui 450 produtos e poderia passar a incluir mais de 2 mil produtos.

Araújo também indicou como o presidente Bolsonaro quer rever, mas não suspender, a controvérsia entre Brasília e Nova Deli na Organização Mundial do Comércio (OMC). A disputa trada dos subsídios indianos na exportação de açúcar.

Essa revisão deveria ocorrer no futuro, envolvendo outros temas como, por exemplo, cooperação para produção de etanol pela Índia.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Carlo Cauti
Editor-chefe do SUNO Notícias. Italiano, formado em Ciências Políticas pela universidade LUISS G. Carli de Roma e mestre cum laude em Relações Internacionais, Jornalismo Internacional e de Guerra e em Economia Internacional. Concluiu também um MBA em Finanças na B3. No Brasil, teve passagem por veículos de comunicação como O Estado de S.Paulo, G1, Veja e EXAME. Também trabalhou nas agências de notícias italianas ANSA e NOVA.