Boeing apresenta prejuízo líquido de US$ 466 milhões no 3T20

Boeing apresenta prejuízo líquido de US$ 466 milhões no 3T20
A Boeing (NYSE: BA) apresentou, na manhã desta quarta-feira (28), seu resultado referente ao terceiro trimestre deste ano.

A Boeing (NYSE: BA) apresentou, na manhã desta quarta-feira (28), seu resultado referente ao terceiro trimestre deste ano. A companhia obteve um prejuízo líquido de US$ 466 milhões (cerca de R$ 2,67 bilhões), o que reverte o lucro de US$ 1,17 bilhão auferido no mesmo período do ano passado.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

A receita líquida apresentou uma baixa de 29% no período entre julho e setembro, na relação anualizada, somando US$ 14,14 bilhões. A carteira de pedidos da Boeing encerrou o trimestre com 4.300 encomendas, atingindo US$ 393 bilhões, uma retração de 15% em comparação com a carteira do terceiro trimestre de 2019.

De acordo com a fabricante de aviões, os resultados continuam a ser impactados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) — que tem avançado nos Estados Unidos e Europa. A crise fez com que o setor de aviação sofresse com a baixa demanda, que diminuiu o número de pedidos de aeronaves. O prejuízo diluído foi de US$ 0,79 por ação.

Conheça o Suno One, a central gratuita de informações da Suno para quem quer aprender a investir. Acesse clicando aqui.

Em comunicado, o CEO, Dave Calhoum, disse que “a pandemia continuou pressionando os nossos negócios neste trimestre, estamos nos alinhando a essa nova realidade, gerenciando de perto nossa liquidez e transformando nossa empresa para ser mais resiliente e sustentável no longo prazo”.

Dentre os segmentos da companhia, a receita com aviação comercial recuou 56%, para US$ 3,60 bilhões. Foram 28 entregas, montante 55% menor do que em 2019. No que se refere à Defesa, Espaço e Segurança, o faturamento caiu 2%, para US$ 6,85 bilhões. A receita com Serviços tombou 21%, para US$ 3,69 bilhões.

“Nosso portfólio diversificado, incluindo nossos serviços governamentais, defesa e programas espaciais, continua fornecendo alguma estabilidade enquanto nos adaptamos”, disse presidente da companhia sediada em Chicago.

Boeing encara problemas do 737 Max

A companhia também informou que continua a lidar com os problemas relacionados ao modelo 737 Max, que não opera desde 2019, após o acidente da Ethiopian Airlines. A Boeing afirmou ter tido um grande progresso para o retorno seguro das viagens da aeronvae.

“Uma equipe composta por autoridades da aviação civil dos Estados Unidos, Canadá, Brasil e União Europeia (UE), realizou avaliações do treinamento atualizado da tripulação, o 737 Max já completou cerca de 1.400 voos de teste e verificação e mais de 3 mil horas de voo”, informou a companhia em nota.

Assim como todo o mercado, as ações da Boeing operam em forte queda nesta quarta-feira. Por volta das 12h15, os papéis da companhia caíam 3,15% na Bolsa de Valores de Nova York, a US$ 150,33. No acumulado do ano, as ações da fabricante acumulam uma baixa de 55%.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião