Boeing estabelece acordo para modernização de aeronaves da Otan

Boeing estabelece acordo para modernização de aeronaves da Otan
Boeing não recebe encomendas de aviões em janeiro

A Boeing assinou, nesta quarta-feira (27), um acordo para modernizar as aeronaves da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). O valor da negociação é de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 4,26 bilhões).

O acordo com a Boeing possui como objetivo a modernização das aeronaves do Sistema Aéreo de Alerta e Controle (AWACS). A Otan prevê que os aviões continuem operacionais até 2023.

Black Friday Suno – pague 2 anos e leve 3 nas principais assinaturas da Suno Research

As aeronaves da AWACS são utilizadas para vigilância aérea, comando e controle, comunicações e para o gerenciamento do espaço de batalha. De acordo com o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, a organização continuará liderando o setor de tecnologia.

“O AWACS tem sido nossos olhos no céu, apoiando nossas operações aéreas há décadas. Desde a patrulha dos céus americanos no 11 de setembro até nossas operações no Afeganistão e como parte da coalizão global contra o Estado Islâmico”, afirmou Stoltenberg.

O presidente da Boeing International, Michael Arthur, ressaltou que a empresa trabalhará em parceria com companhias europeias durante o acordo.

Dos 29 países que são membros da organização, 16 estão financiando o projeto de modernização. A Espanha e algumas empresas da Europa e da América do Norte estão colaborando ativamente para a medida.

Joint venture entre Embraer e Boeing

A joint venture entre a Embraer e a Boeing, criada para estimular novos mercados para a aeronave multimissão C-390 MIllennium, foi nomedada de Boeing Embraer – Defense. A informação foi divulgada pela empresa brasileira no dia 18 de novembro.

Saiba mais: Joint venture entre Embraer e Boeing para nova aeronave é nomeada

A aeronave pode ser utilizada para transporte de carga e tropas, reabastecimento aéreo, lançamento aéreo de carga e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios e missões humanitárias.

“A Boeing Embraer Defense irá se basear no histórico de colaboração entre nossas empresas, no setor aeroespacial comercial e de defesa, para agregar maior valor ao C-390 Millennium, à medida que o avião está entrando em serviço e irá liderar a próxima geração de aeronaves de transporte e mobilidade aérea”, disse o presidente da Boeing para a parceria com a Embraer e Operações do Grupo, Marc Allen.

Giovanna Oliveira

Compartilhe sua opinião