BNP Paribas recua 8,8% no lucro líquido do 3T19

BNP Paribas recua 8,8% no lucro líquido do 3T19
BNP Paribas prevê queda de -5% no PIB e preocupação com situação fiscal

O lucro líquido do BNP Paribas SA no terceiro trimestre deste ano atingiu 1,94 bilhão de euros (aproximadamente R$ 8,66 bilhões na cotação atual). Isso representa uma queda de 8,8% em comparação com o mesmo período do ano passado.

No terceiro trimestre de 2018, o BNP Paribas incluiu um ganho de capital na venda de uma participação na First Hawaiian, uma holding bancária. À época, a instituição financeira registrou US$ 2,12 bilhões (R$ 8,50 bilhões).

A receita do maior banco francês aumentou 5,3% no terceiro trimestre, chegando a 10,9 bilhões de euros (R$ 48,68 bilhões).

Confira: Altria diminui a participação na Juul em US$ 4,5 bilhões

Os resultados apresentados ficaram acima das expectativas dos analistas, que seria de US$ 1,82 bilhão (R$ 8,13 bilhões) de lucro, e a receita levemente menor, de acordo com uma previsão do FactSet. Desconsiderando os itens excepcionais, o lucro líquido da companhia cresceu 3,4% ao ano.

O lucro antes dos impostos da divisão de bancos corporativos e institucionais cresceu por volta de 14%. Já a receita nos mercados globais aumentou aproximadamente 15%, sendo que a receita de renda fixa avançou em 35% e de ações e serviços básicos caiu 15%.

Veja também: Gol registra prejuízo de R$ 171 milhões no 3T19, queda de 60%

Quanto ao índice de capital principal Nível 1, uma medida importante da força do capital do banco, subiu para 12%, frente ao registrado em junho, no último balanço, quando chegou a 11,9%.

Deutsche Bank vende parte do negócio ao BNP Paribas

No dia 23 de setembro, o Deutsche Bank informou que concordou em vender parte de seu negócio de corretagem e negociação eletrônica de ações ao BNP Paribas.

A venda faz parte do plano de reestruturação do banco alemão. Ao longo dos últimos meses, após o escândalo dos “Panama Papers”, a instituição financeira está anunciando uma série de cortes em postos de trabalho.

Por outro lado, o banco francês está ampliando sua atuação no mercado financeiro. “Este acordo demonstra o forte compromisso do BNP Paribas com investidores institucionais em todo o mundo”, afirmou o chefe corporativo e institucional, Yann Gérardin.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião