BNDES anuncia programa de auxílio a capital de giro de empresas

BNDES anuncia programa de auxílio a capital de giro de empresas
BNDES atinge marca de R$ 30 bi em créditos para linhas emergenciais na pandemia

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou, nesta segunda-feira (8), um novo programa de auxílio ao capital de giro de empresas de diversos setores: BNDES Crédito Direto Emergencial.

Com o objetivo de ajudar as empresas a passarem pela crise da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a primeira fase do novo programa do BNDES terá um orçamento de R$ 2 bilhões.

No primeiro momento, a ferramenta atenderá, através de operações de empréstimos contratadas diretamente, companhias do setor de saúde, como hospitais e laboratórios. O programa também prevê que as companhias que não diminuírem ou até aumentarem os postos de trabalho durante os próximos 12 meses, terão acesso a menores taxas de juros.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Para se adequarem ao programa, as empresas deverão apresentar uma receita operacional bruta igual ou superior a R$ 300 milhões. Os valores financiados pela instituição estatal ficarão entre R$ 10 milhões e R$ 200 milhões.

O prazo é limitado a 60 meses, incluído o prazo de carência de 3 a 24 meses. O prazo de utilização será de até 6 meses.

BNDES procura levar o crédito a pequenas e médias empresas

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, disse que o Programa Emergencial de Acesso a Crédito, criado a partir da Medida Provisória (MP) 975/20, editado na semana passada, servirá como um mitigador de risco para quem empresta para pequenas e médias empresas.

De acordo com Montezano, o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) assumirá parte do risco da concessão do crédito. Isso poderia fazer com que os bancos tomassem mais risco em meio à retomada da atividade econômica. O presidente do BNDES disse que o momento é de um fluxo de caixa das empresas mais “turvo”.

Esse fundo terá R$ 20 bilhões, enquanto a primeira tranche é de R$ 5 bilhões. Esse programa, segundo Montezano, vai emprestar a empresas com faturamento de R$ 360 mil a R$ 300 milhões.

O potencial máximo de alavancagem financeira será de cinco vezes, ou seja, para cada R$ 1 captado pelos bancos, poderão ser emprestados até cinco vezes. “Esperamos que na primeira semana de julho isso comece, esteja disponível, mas trabalhamos para antecipar esse prazo”, disse o presidente do BNDES.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião