Negócios

BNDES deve executar dívida de R$ 230 milhões do Hopi Hari

0

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve executar uma dívida contraída pelo parque Hopi Hari, de Vinhedo (SP). A dívida do parque é de R$ 230 milhões (cerca de R$ 300 milhões, em valores atualizados).

Em janeiro, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) deu aval ao BNDES para a cobrar a dívida. Desta forma, o banco está executando o déficit e deve pedir o imediato leilão dos bens do parque, que já foram avaliados. As informações são do “Estado de S. Paulo”.

A decisão do BNDES é parte de uma série de novas estratégias que a nova gestão está instaurando. O ex-ministro da Fazenda, Joaquim Levy, foi indicado pelo governo do presidente, Jair Bolsonaro, e assumiu o posto em 7 de janeiro deste ano.

Recuperação judicial do Hopi Hari

Em abril de 2018, o Hopi Hari aprovou um plano de recuperação judicial que englobava apenas as dívidas trabalhistas. Os demais credores, inclusive o BNDES, ficaram de fora do plano. A medida foi conduzida pelo advogado Sergio Emerenciano, do escritório Emerenciano Baggio & Associados.

A decisão atraiu diversos processos dos credores, contra o parque. Em ações individuais, os credores tentavam recuperar seus investimentos. No início de 2019, o TJSP anulou o plano de recuperação judicial do Hopi Hari.

“Dificilmente o BNDES vai pedir falência de uma empresa com 400 funcionários“, disse o advogado na época. Em março, o escritório renunciou ao processo.

Hoje, a empresa é representada pela banca da Barci de Moraes, de Viviane Barci de Moraes. Viviane é esposa do ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

O novo escritório enviou ao TJSP um novo plano de recuperação judicial. Em suma, a proposta atrasa todos os pagamentos em 12 meses, e inclui pagamento ao BNDES. Contudo, não há garantias ou detalhamento de como a quitação ocorreria.

Saiba mais – Bolsonaro cobrará BNDES por clareza sobre possíveis calotes em empréstimos 

Empréstimo ao Beto Carrero World

Na véspera (11), o BNDES aprovou empréstimo de R$ 50,4 milhões à J.B World Entretenimentos, controladora do parque temático Beto Carrero World, Penha (SC).

De acordo com o banco, a concessão representa 58,5% do plano total de investimento da J.B, que é de R$ 86,1 milhões. O empréstimo será direcionado à:

  • modernização;
  • e ampliação das atrações.

O Beto Carrero World é o maior parque temático do Brasil, contando com dois milhões de visitantes por ano. São cerca de 100 atrações no parque, em 14 milhões de metros quadrados (m²), empregando dois mil trabalhadores diretos e indiretos.

“Quase todos os gastos realizados neste projeto apoiado pelo BNDES serão em obras civis e em montagens e instalações (95% do financiamento). O valor restante se empregará na aquisição de máquinas e equipamentos”, afirmou o BNDES em nota.

Compartilhe a sua opinião

Amanda Gushiken
Amanda Sayuri Gushiken escreve sobre finanças e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, trabalhou selecionando notícias da imprensa para clientes do mercado financeiro. Também desenvolveu pesquisa acadêmica pela Universidade Anhembi Morumbi na área de Teorias da Comunicação e é fotógrafa nas horas vagas.