Negócios

BMG Seguros vende 30% de seu capital social para Generali

0

A seguradora italiana Generali comprou, nesta segunda-feira (02),  30% do capital social da BMG Seguros no total de R$ 89 milhões. Na transação, a seguradora do banco foi avaliada em R$ 297 milhões.

A BMG Seguros atua no segmento de grandes empresas, focada em seguro garantia, o que necessita uma estrutura especializada em avaliar crédito corporativo. A Generali tem a opção de aumentar sua participação na seguradora para 51% até 2021.

A seguradora deve pagar R$ 54 milhões em até três anos e outros R$ 35 milhões ao final de 2025, conforme as metas operacionais forem alcançadas.

O conselho de administração da BMG Seguros será modificado de forma que:

  • Três membros serão indicados pelo BMG Participações em Negócios;
  •  Os outros dois serão da Generali;
  •  Jorge Sant’Anna permanecerá como presidente da seguradora.

As companhias já têm uma joint-venture firmada desde 2016 focada em venda de seguros para aposentados, pensionistas e funcionários públicos. Na parceria, a Generali tem 40% de participação e o BMG, 60%.

A transação aguarda a aprovação dos órgãos reguladores.

Banco BMG e Lojas Help!

O diretor financeiro do BMG , Flávio Pentagna Guimarães Neto, informou que o banco pretende chegar a 800 unidades da rede de lojas de crédito help!. A declaração ocorreu no dia 18 de novembro durante uma teleconferência com analistas.

Saiba mais: Banco BMG pretende chegar a 800 lojas help! até 2020

A loja de crédito do Banco BMG já conta com 732 unidades. A help! oferece empréstimos e possui como público-alvo aposentados, pensionistas do INSS e servidores públicos.

“Devemos continuar com um ritmo elevado de abertura de lojas no próximo ano, mas diminuindo em relação a este, quando mais do que dobramos o total de unidades. A partir de certo ponto a estratégia passa a ser mais de rentabilizar as lojas existentes do que aumentar o número total”, afirmou Guimarães Neto.

O executivo destacou também que o BMG está desenvolvendo um programa para desacelerar o crescimento de suas despesas em 2020. Por meio da medida, a instituição financeira pretende manter a estabilidade nas despesas mesmo após uma série de investimentos em tecnologia.

Compartilhe a sua opinião

Rafael Lara
Rafael Lara cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Escreve sobre política, economia e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na TV Gazeta na produção do programa Edição Extra.