Black Friday deve impulsionar o crescimento do varejo em até 3% em novembro

Black Friday deve impulsionar o crescimento do varejo em até 3% em novembro
Shopping

A FecomercioSP divulgou nesta segunda-feira (26) suas projeções de um aumento de até 3% nas vendas do comércio varejista em novembro comparada com o mesmo período de 2019, influenciado principalmente pela Black Friday, que ocorrerá no dia 27 de novembro.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

De acordo com a previsão, os segmentos que mais serão impulsionados diante da Black Friday são os supermercados e materiais de construção. Além disso, a projeção também inclui um crescimento nas vendas durante o Natal em comparação com o ano passado.

Caso os dados se confirmem, o varejo terminará o ano em queda de 3%, um cenário mais positivo do que o previsto no início da pandemia do coronavírus (Covid-19). Contudo, segundo a FecomercioSP, a abertura gradativa dos estabelecimentos não será suficiente para recuperar as perdas registradas no setor durante 2020.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

“O grau de incertezas em relação à economia ainda é grande, principalmente em relação às variáveis de emprego e renda”, informou a entidade.

Além disso, com a finalidade de potencializar o faturamento no período, a FecomercioSP orienta que os estabelecimentos pratiquem planos de fidelização de clientes e descontos em produtos, considerando um cenário de aumento das taxas de desemprego e redução na renda.

Varejo brasileiro fatura R$ 3,2 bilhões na Black Friday em 2019

O varejo brasileiro online faturou R$ 3,2 bilhões na Black Friday, trata-se de um aumento de 23,6% em comparação com o mesmo período de 2018, de R$ 2,6 bilhões. Apesar da alta, o gasto médio do consumidor caiu de R$ 608 para R$ 602, esse valor é equivalente a uma queda de 1,1%. O levantamento da EbitNielsen é referente à receita da Black Friday entre os dias 28 e 29 de novembro de 2019.

“Os números comprovam que o evento já faz parte do calendário de compras do brasileiro, com crescimento ano a ano. E as lojas mais tradicionais se mostraram mais preparados para o período promocional, ao entender o que o mercado queria”, informou líder da EbitNielsen, Ana Szasz.

Os dispositivos móveis foram os mais solicitados pelos consumidores. De acordo com o levantamento, 55% dos pedidos foram por smartphones, no ano de 2018, esse número foi de 35%.

Saiba Mais: Varejo brasileiro fatura R$ 3,2 bilhões na Black Friday

O faturamento dos dispositivos móveis totalizaram R$ 1,7 bilhão, uma expansão de 95%, visto que, ano passado o faturamento chegou a R$ 830 milhões. O gasto médio com smartphones foi de R$ 574, uma alta de 4% comparado com R$ 552 do ano passado.

“Já vínhamos falando ao longo do ano sobre ‘Mobile First’ e de fato essa Black Friday se consolidou como o evento onde mais compras foram feitas por este formato. Garantir uma boa experiência mobile foi o diferencial para bons resultados”, explicou Szasz.

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião