BDRs são liberados para investidor comum hoje; veja como funciona

BDRs são liberados para investidor comum hoje; veja como funciona
BDRs podem ser uma boa alternativa para a diversificação de investimentos.

Os BDRs (Brazilian Depositary Receipt) poderão ser negociados por investidores comuns a partir de hoje. Os ativos são recomendados para investidores que querem investir em companhias de fora do Brasil.


Os BDRs são comparados a fundos de investimentos que detêm papéis de companhias estrangeiras em seu portfólio. Ou seja, se o investidor investe em um BDR que possui o Google, por exemplo, ele não se torna um efetivo sócio da empresa.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou, recentemente, as últimas mudanças no Regulamento para Listagem de Emissores e Admissão à Negociação de Valores Mobiliários da B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) com o intuito de viabilizar a negociação de BDRs pelo investidor pessoa física.

Conheça o Suno One, a central gratuita de informações da Suno para quem quer aprender a investir. Acesse clicando aqui.

Vale ressaltar que os BDRs são negociados como qualquer outro ativo da bolsa de valores, em reais, como ações e cotas de Fundos Imobiliários. Hoje, a B3 conta com 671 BDRs disponíveis. Confira os 10 maiores BDRs atualmente:

BDRs
10 maiores BDRs na B3 (foto: reprodução XP).

Vantagens dos BDRs

De acordo com o Estrategista-Chefe e Head de Research na XP, Fernando Ferreira, a nova regra acontece em linha com “um movimento sem precedentes de brasileiros migrando para a renda variável”, devido aos cortes consecutivos da taxa básica de juros (Selic) pelo Banco Central. Com isso, a renda fixa tem se tornado cada vez menos atrativa.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Em relatório, Ferreira destacou os benefícios que o investidor pode ter com a liberação dos BDRs. Entre os principais, estão a diversificação de investimentos, e, com isso, a diminuição do risco, já que a pessoa estará dando um passo fora do território nacional ao adquirir esse tipo de ativo.

Além disso, ao adquirir um BDR, o investidor pode se expor a novos setores, como o de inteligência artificial, biotecnologia e farmacêuticas, bebidas destiladas, entre outros que não são tão fortes no Brasil.

O investidor que optar por um BDR também não precisa abrir uma conta no exterior. Ou seja, na mesma conta do home broker, ele pode ter todos os seus investimentos. Por fim, o especialista da XP ainda cita que o aumento da liquidez nos BDRs deve acontecer de acordo com o aumento da demanda por eles.

Novo lote de BDRs

Na última segunda-feira (19), novos 72 Brazilian Depositary Receipts (BDRs) passaram a ser negociados na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Os papéis da Unilever, AstraZeneca, Royal Dutch Shell e América Móvil são apenas alguns dos novos BDRs.


O novo lote de depósitos, ativos lastreados em valores mobiliários de emissão de companhias estrangeiras, inclui BDRs de empresas originalmente da África, América Latina, Ásia e Europa listadas nas bolsas de valores dos Estados Unidos: Nyse e Nasdaq.

As companhias que estão na lista pertencem a diversos setores da economia, como o farmacêutico, de comunicação, mineração, energia, hotelaria e tabaco.

A mudança do BDR confirmada pela B3 nesta semana permitirá que investidores não qualificados possam ter acesso a ações, ETFs e títulos de dívida para investir no exterior.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião