Economia

Bancos públicos venderam R$ 16 bi em ativos, em 200 dias de governo

0

Liderados pela Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, os bancos públicos estão tomando conta das vendas de ativos. As atividades já geraram aproximadamente R$ 16 bilhões. O valor foi arrecadado em 200 dias de governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

As vendas de ativos por parte dos bancos públicos são uma indicação da equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes. A justificativa para essa medida é dada pelo governo como uma forma de “não competir com banqueiro”.

O secretário especial de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, já evidenciou sua ideia de desestatizar o crédito no Brasil. Para ele, essa é uma medida imprescindível para diminuir o tamanho das instituições nesta área.

Veja também: IPCA-15: prévia da inflação oficial fica em 0,09% em julho 

Para o segundo semestre os planos de vendas já foram feitos. Sendo assim, a ideia é aumentar o número de vendas e tentar chegar ao US$ 20 bilhões, em privatizações. Para chegar a esse valor, o governo busca trabalhar com empresas de energia, saneamento e logística. Além disso, também estão na lista os bancos estatais.

Em entrevista ao jornal “O Estado de S.Paulo”, o analista Eduardo Nishio, do Brasil Plural, falou sobre a venda de ativos por parte dos bancos públicos.“A maioria dos ativos vendidos pelos bancos públicos já estava listada na Bolsa e, por isso, é muito mais fácil vender. Além de já ter um valor estabelecido, o mercado conhece a história das empresas”.

Ele ainda diz que o plano dos bancos com essas vendas é “se desfazer de investimentos que não são foco da operação bancária”.

BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não conseguiu tanto destaque neste período de governo. Isso porque houve uma troca em sua direção. Sendo assim, no dia 3 de julho, Gustavo Montezano foi eleito, em reunião extraordinária, o novo presidente do BNDES.

A expectativa, porém, é que o banco ganhe força no segundo semestre, no quesito de desinvestimentos. Montezano afirmou no dia de sua posse que utilizará o BNDESPar para agilizar o processo de venda de participações.

Caixa

Pedro Guimarães, que atua no comando da Caixa Econômica Federal, disse há pouco tempo que o banco irá fazer mais 15 operações. A ideia do banco público era conseguir R$ 15 bilhões em 2019. Entretanto, já conseguiu R$ 10 bilhões apenas no primeiro semestre do ano, com a venda de títulos da Petrobrás e da IRB Brasil Re.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.