Negócios

Bancos brasileiros têm 250 GB de dados expostos na internet

0

De acordo com informações do “The Hack”, aproximadamente 250 GB de documentos e dados de clientes de bancos nacionais foram vazados na semana passada. A maior parte dos dados seria de clientes do Banco Pan.

A exposição foi alertada após uma verificação do Data Group. Este grupo consiste em pesquisadores brasileiros independentes, que se dedicam a pesquisar vulnerabilidades em plataformas online. De acordo com o grupo, os dados expostos em contas de bancos foram:

  • RG;
  • CPF;
  • Cartões de crédito;
  • Comprovantes de residência;
  • Demonstrativos de pagamentos;
  • Comprovantes de transações bancárias;
  • Contratos.

O total de pessoas atingidas não foi divulgado, já que a desorganização dos arquivos não permitiram um prognóstico. Segundo o “The Hack”, um dos bancos mais exposto aos vazamentos foi o Banco Pan (BPAN4). De acordo com a avaliação feita, os dados teriam sido vazados por conta de uma falha provocada por um membro terceirizado que trabalha com aposentados, pensionistas e militares.

Veja também: Banco Santander registra lucro líquido de R$ 3,6 bilhões no 2°T19 

Perigos a cerca dos vazamentos dos Bancos

Com a quantidade de informações divulgadas no vazamento, é necessário que os clientes fiquem atentos com suas contas bancárias e faturas de cartões de crédito. Isso porque as fraudes podem ser feitas de facilmente com tantas informações pessoais e bancárias dos usuários.

Banco Pan

O Banco Pan corresponde ao antigo Banco Panamericano. A instituição pertencia ao grupo Silvio Santos. Em 2009, a Caixa Econômica Federal comprou uma participação na companhia. Após isso, em 2010, o Banco Central detectou uma fraude contábil no banco que provocou um rombo de R$ 4,3 bilhões.

Contudo, no último período o Banco aparece se recuperando. No primeiro trimestre, o Banco Pan registrou um lucro de R$ 96,1 milhões. Uma alta de 70% em relação ao mesmo período de 2018. Entretanto, a rentabilidade continua baixa em comparação com os grandes bancos, e atingiu 9,3% nos três primeiros meses do ano.

Ações do Banco Pan

As ações do Banco Pan começaram a subir deliberadamente ao final de maio deste ano, com o anúncio de uma plataforma digital do banco. A expectativa dos investidores é que o banco consiga repetir o sucesso do Banco Inter.

Saiba mais: Bancos públicos venderam R$ 16 bi em ativos, em 200 dias de governo 

Por volta de 12h28, desta terça-feira (23), as ações do Banco Pan estavam sendo cotadas a R$9,61, com uma variação negativa de 1,13%.

Posicionamento do Banco Pan

Em nota, o Banco Pan informou que “o ambiente mencionado não é de sua propriedade e que, após criteriosa análise nos seus sistemas de segurança acompanhada por consultoria independente, ficou evidenciado que o servidor não é de propriedade do Pan e que não foi constatada qualquer invasão na infraestrutura do Banco”.

Segundo o banco, “na atuação com parceiros comerciais são capturados dados cadastrais de potenciais clientes por tais parceiros, antes da efetiva formalização de uma operação com o Banco, que adota as medidas cabíveis caso identificado qualquer tipo de uso indevido dessas informações”.

O Banco Pan ratificou que “a segurança da informação é uma de suas prioridades, alinhada com as melhores práticas de proteção reconhecidas internacionalmente e exigidas pelos órgãos reguladores”.

Além disso, o banco “reiterou seu compromisso com a sociedade”, e disse que “segue à disposição para colaborar com a apuração dos fatos”.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.