Negócios

Banco Santander registrará queda no lucro no 3T19 por causa do Reino Unido

0

O banco espanhol Santander informou que seu lucro líquido no terceiro trimestre apresentará uma redução devido a sua subsidiária localizada no Reino Unido. A baixa contábil será cerca de 1,5 bilhão de euros.

As incertezas do Brexit, o ambiente regulatório desafiador e a crescente concorrência do setor no Reino Unido são os motivos da redução no valor. No entanto, apesar do local apresentar dificuldades, o Santander reitera que não deixará de investir em sua subsidiária.

“Embora as reformas nas regras de ring-fencing e o Brexit tenham impactado a lucratividade no Reino Unido, ele continua sendo um mercado extremamente importante, no qual o grupo está investindo significativamente para atender nossos clientes e continuar a competir”, disse a presidente do banco, Ana Botin.

As novas regras do ring-fencing insiste em que os credores britânico deverão separar o banco de varejo das operações de banco de investimento mais arriscados.

Santander Brasil registra lucro líquido de R$ 3,6 bilhões

O banco Santander Brasil registrou aumento de 20,16% no lucro líquido no segundo trimestre deste ano, em comparação de mesmo período do ano passado. Esse valor é equivalente a R$ 3,635 bilhões.

“Apesar de uma recuperação gradual na atividade econômica e de estarmos inseridos em um ambiente mais competitivo, o crescimento de nossa carteira de crédito foi superior ao do sistema financeiro aumentando nossa participação de mercado de forma rentável”, diz o relatório do Santander.

Confira Também: Santander reduz taxa cobrada em fundos de resgate automático

A carteira de crédito da instituição teve aumento de 7% quando comparado anualmente. Além disso, cresceu 1,9% nos segundo trimestre comparado com o primeiro, esse valor é correspondente a R$ 394,132 bilhões.

Ademais, o banco reconhece a importância que a tramitação das reformas teve em seu lucro, mas reitera que “o processo também não foi algo linear, com idas e vindas, encontros e desencontros entre congressistas alinhados com o governo e integrantes da administração federal trazendo volatilidade aos preços dos ativos”.

Os empréstimos para grandes empresas registraram queda de 1,1% em comparação com o primeiro trimestre. Por sua vez, o crédito da pessoa física e das pequenas e médias empresas registraram crescimento de 3,6%, de mesma comparação.

O banco Santander teve aumento de 13,1% em ativos no Brasil, em comparação anual, desse modo o valor é correspondente a R$ 836,258 bilhões. Em comparação com março, os ativos cresceram em 4,1%.

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.