Economia

Banco Inter prevê redução da taxa Selic para 4,75% em 2019

0

O Banco Inter comunicou nesta segunda-feira (14) que alterou as previsões para a taxa Selic em 2019 e 2020. De acordo com o banco, a taxa básica de juros chegará ao final deste ano a 4,75%.

A estimativa do Banco Inter é que o Comitê de Política Monetária (Copom) reduza a Selic em 0,50% na próxima reunião, em outubro, e em 0,25% na última reunião do ano, que ocorrerá em dezembro.

Para o ano que vem, o banco prevê que os juros deverão continuar no mesmo patamar de 4,75%.

“Acreditamos que o cenário de recuperação de atividade em 2020, o cambio próximo de R$4,10 e a expectativa de inflação convergindo para próximo da meta até o final de 2020 devem indicar que 4,75% seja um patamar adequado”, diz o comunicado divulgado pela instituição financeira.

No entanto, o Banco Inter não descartou a possibilidade de um novo corte de 0,25% no início de 2020. Segundo a instituição, outra redução poderia ocorrer caso a atividade econômica continue em recuperação lenta e a inflação não acelere.

Leia também: Itaú prevê redução da Selic para 4,5% em 2019 e 4% em 2020

Caso o déficit fiscal seja reduzido e as reformas, como a da Previdência e a tributária, sejam aprovadas, a expectativa do banco é que a Selic aumente a longo prazo.

“No cenário de reformas aprovadas e redução do déficit fiscal, acreditamos que podemos ter uma taxa de juro neutra entre 2% e 2,5% o que significaria uma taxa Selic de cerca de 5,5% a 6% no longo prazo”, diz o comunicado.

Expectativa do Banco Inter para o PIB

O Banco Inter manteve a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 1,1% neste ano. Em 2020, o banco prevê uma aceleração de 2,1%.

Segundo a instituição financeira, o corte dos juros e a retomada do crédito possibilitará o crescimento da economia em 2020. Para o ano que vem, a previsão é baseada na expectativa de juros do banco.

O cenário analisado pelo banco considera que a reforma da Previdência seja aprovada e que o governo mantenha a política fiscal de redução de gastos. Para o ano que vem, a expectativa é que o plano de privatizações do governo federal continue em vigor.

Para o cenário externo, a instituição considera uma desaceleração econômica global. No entanto, um acordo comercial entre Estados Unidos e China como forma de afastar um risco de recessão.

Estimativa para o IPCA

O banco informou que a previsão para o IPCA foi revista de 3,5% para 3,3% em 2019. Para 2020, a estimativa é de 3,7%.

“No curto prazo, ainda observamos que a lenta recuperação da atividade, principalmente no mercado de trabalho, tem segurado maiores repasses de preços”, comunicou o banco.

Contudo, o Banco Inter espera resultados positivos a longo prazo, motivados por uma política fiscal de controle de gastos e pela correção da trajetória da dívida.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Oliveira
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.