Negócios

Banco Inter entrará na guerra das maquininhas

0

O Banco Inter irá aderir à guerra das maquininhas, porém, com um diferencial. A instituição bancária não utilizará apenas o aparelho POS, mas também o próprio celular dos micro e pequenos empreendedores.

João Vítor Menin, presidente do Banco Inter, afirmou em conferência com os analistas na manhã da última terça-feira (13) que “a ideia é lançar esse serviço de adquirência entre o fim deste ano e o início de 2020″.

Banco Inter foca nas pessoas jurídicas

O processo de recebimento do valor na transação funcionaria da seguinte forma: o empreendedor deve baixar o aplicativo do banco e, quando for realizar uma transação, terá de colocar os dados da compra (valor e se a venda vai ser no débito ou no crédito). Em seguida, posicionará o cartão do cliente – desde que utilize o NFC embarcado – em frente à câmera, e a operação já será realizada.

“Focamos muito na pessoa física para ganhar fatia de mercado, com a plataforma de investimento PAI, com a plataforma de seguros e com o super aplicativo. Há cerca de seis meses, passamos a nos dedicar também a pequenos comerciantes. Isso vai trazer mais correntistas e uma monetização importante. Se o correntista tinha vida dura, acho que o pequeno empreendedor tem uma vida mais dura ainda”, afirma Menin. A mais nova frente do Banco Inter é focada nas pessoas jurídicas.

Atualmente, o banco recebe mais de 10 mil novos correntistas por dia. No segundo trimestre, o Inter alcançou a marca de 2,5 milhões de usuários. “Colocamos de pé um processo mais eficiente de banco de varejo”, disse Menin.

O fundo de investimentos japonês Softbank enxergou na startup mineira uma oportunidade de crescimento. Inclusive, adquiriu o equivalente a 8% do capital do banco por R$ 760 milhões.

Veja também: Banco Inter opera em alta após venda de ações para o Softbank

Reflexos dos resultados positivos

Na última terça-feira (13), o Banco Inter divulgou um lucro líquido de R$ 32,9 milhões no segundo trimestre. Um resultado que representa uma alta de 92,3% em relação aos mesmos meses do ano passado, quando o valor tinha sido de R$ 17,1 milhões.

Saiba mais: Banco Inter lucra R$ 32,9 milhões no segundo trimestre; alta é de 92,3%

O lucro líquido foi impulsionado pelo resultado não operacional do segundo trimestre, que alcançou R$ 38,845 milhões. No trimestre anterior esse resultado tinha sido negativo de R$ 2,259 milhões. No mesmo período de 2018 esse resultado tinha sido negativo de R$ 4,414 milhões.

Ontem, as ações preferenciais do Banco Inter (BIDI4) fecharam o pregão com uma alta de 6,25%, sendo negociadas a R$ 22,10 na Bolsa de Valores de São Paulo.

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.