Banco do Brasil (BBAS3): demanda por linha de crédito é menor do que esperado

Banco do Brasil (BBAS3): demanda por linha de crédito é menor do que esperado
Fachada de agência do Banco do Brasil (foto: divulgação)

O presidente do Banco do Brasil (BBAS3. BBAS11; BBAS12), Rubem Novaes, declarou nessa quinta-feira (7) que a demanda das empresas por crédito para folha de pagamento está abaixo do que era esperado, e declarou “acho que os empresários não querem se comprometer a não demitir”.

Em contrapartida, o vice-presidente do Banco do Brasil (BB), Carlos Motta, declarou que “prevemos um crescimento grande desses recursos. As empresas têm até o quinto dia útil para pagar folha, muitas devem contratar até amanhã”.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais.

Essa linha de crédito de R$ 20 bilhões foi criada pelo governo para ajudar as empresas a passarem pela crise do coronavírus (Covid-19). Motta indicou que o banco fez contato com 30 mil empresas, que poderiam adquirir o crédito e cerca de 6,79 mil operações foram realizadas até a última quarta-feira (6), somando R$ 172 milhões.

Saiba mais: Banco do Brasil confirma pagamento de JCP após fechamento do 1º semestre

Além disso, o vice-presidente de negócios de atacado do BB, Walter Malieni, salientou que realiza reuniões diariamente para discutir o projeto entre o BNDES e bancos privados para ajudar setores mais afetados pela atual pandemia. Malieni afirmou que buscam equilibrar as visões de cada banco, e que alguns já acreditam que isso ocorrerá nos próximos dias.

Já o vice-presidente de gestão financeira e relações com investidores do banco, Carlos Hamilton, informou que as operações da instituição com micro, pequenas e médias empresas apresentaram um aumento de 12% no primeiro trimestre do ano, enquanto as operações com pessoas físicas subiram 9%.

Segundo Hamilton, as grandes empresas demandaram mais liquidez na última quinzena de março, e ainda destacou que o agronegócio foi o menos alcançado pela crise.

Lucro Líquido do Banco do Brasil

O BB divulgou, na manhã desta quinta-feira, um lucro líquido ajustado de R$ 3,395 bilhões no primeiro trimestre deste ano, uma queda de 20,1% em comparação com o mesmo período do ano passado. Nos primeiros três meses de 2019, o banco registrou um lucro de R$ 4,625 bilhões.

O lucro líquido contábil do Banco do Brasil também apresentou uma queda, de 20%, somando R$ 3,205 bilhões. Ante o quarto trimestre de 2019, quando os ganhos contábeis foram de R$ 5,694 bilhões, a queda registrada é de 43,7%.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião