Banco Central deve escolher cor cinza para nota de 200 reais

Banco Central deve escolher cor cinza para nota de 200 reais
Imagem ilustrativa do Banco Central da nota de 200 reais

O Banco Central (BC) deve escolher a cor cinza para a nota de 200 reais. A nova cédula ainda deve apresentar detalhes amarronzado, caso o modelo seja aprovado pela instituição. As informações são da Folha de S. Paulo. A assessoria da Cada da Moeda informou que as opções apresentadas pelo BC estão em fase final de testes.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Na última quarta-feira (29), o BC anunciou o lançamento da nota de 200 reais, que deve entrar em circulação a partir do final de agosto. A entrada da nova cédula foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Atualmente, a nota está na fase de confecção, a Casa da Moeda confecciona o fundo das células, sem textura. Nas próximas etapas ocorre a gravação de imagens em alto relevo (calcografia), em cada uma das faces. O desenho escolhido para estampar a nota foi o lobo-guará, a escolha foi baseada em uma pesquisa de opinião.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

“Em 2001, o Banco Central fez uma pesquisa junto à população tendo como base lista de animais em extinção, sobre quais ela gostaria de ver representado no dinheiro. Em primeiro lugar da pesquisa, foi a tartaruga marinha, hoje na nota de R$ 2. Em segundo, o mico-leão dourado, representado cédula de R$ 20. E o terceiro animal mais votado foi o lobo-guará.” disse Carolina de Assis Barros, diretora de administração do BC.

A autoridade monetária central prevê que, em 2020, sejam impressas 450 milhões de novas cédulas de 200 reais, que terão como personagem o lobo-guará.

De acordo com a diretora de Administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros, a pandemia causou uma maior demanda por numerários, não só no Brasil, porém também no resto do mundo. Consequentemente, as casas de impressão foram desafiadas a criar mais cédulas.

O Banco Central entende que a quantidade de moedas em circulação é adequada. A instituição considera que o momento é oportuno ao considerar a importância que as cédulas têm para a população brasileira. Isso faz com que seja aprovada a destinação de R$ 113,4 milhões para a impressão de 450 milhões de cédulas de 200 reais e 170 milhões de cédulas de 100 reais.

“O lançamento da [nota de 200 reais] é um processo pré-existente. O Banco Central está agindo preventivamente para um possível aumento da demanda de numerário (cédulas) da população. E poderemos reduzir custos de logística e distribuição de numerário pelo país, dado que temos dimensões continentais”, informou Carolina Assis de Barros.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião