Finanças pessoais

PIX: Banco Central anuncia novo meio de pagamento eletrônico

0

Com o intuito de facilitar as transferências bancárias, o Banco Central (BC) lançou, nesta quarta-feira (19), o PIX. A autoridade monetária central informou que o novo meio de pagamento será eletrônico, mais rápido e prático que as transações realizadas por DOC, TED ou boleto bancário.

A partir de 16 de novembro deste ano, o oferecimento do PIX será obrigado não somente entre as maiores instituições financeiras e de pagamento do Brasil, como em todos os bancos com mais de 500 mil contas abertas. Os pagamentos feitos por aproximação, no entanto, começarão a funcionar em 2021.

De acordo com o BC, uma das facilidades do novo meio de pagamento é a não restrição de horário ou de dia da semana, diferentemente dos outros métodos convencionais. Ademais o pagamento será concluído em apenas 10 segundos.

A nova modalidade poderá ser utilizada para qualquer tipo de transação, como remessas de dinheiro entre pessoas e empresas, compras (seja presencialmente ou on-line), pagamento de contas domésticas, pagamento de taxas públicas e de serviços públicos.

O Banco Central estima que o PIX deve ser mais utilizado em smartphones, uma vez que as instituições bancárias disponibilizarão a opção para mobile. A finalização da transação será feita via QR Code e os mecanismos de segurança para autenticação do usuário vão variar de acordo com a instituição.

Saiba mais: Banco Central enxerga avanço gradual na economia brasileira

De acordo com João Manoel de Pinho Mello, diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC, o objetivo é que o método de pagamento seja instantâneo para pagamentos como o Whatsapp é para mensagens, popularizando o nome PIX.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse, no lançamento do PIX, que “com esse projeto e outros que virão ao longo de 2021, vamos ter uma diferenciação da forma de fazer transações financeiras no Brasil”.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.