Mercado

B3 altera horário de encerramento do pregão a partir de segunda-feira

0

O horário de funcionamento do pregão da B3 (BM&F Bovespa), a Bolsa de Valores de São Paulo, sofrerá uma mudança a partir da próxima segunda-feira (11). A abertura das negociações permanecerá a partir das 10h, entretanto, o pregão regular passará a ser fechado às 17h.

A mudança já havia sido comunicada pela B3, e alinha-se ao início do horário de verão nos Estados Unidos da América (EUA), neste domingo (10). O horário de verão no Brasil encerrou em 17 de fevereiro.

A B3 volta a ter negociações disponíveis noafter market, cujo horário de funcionamento é entre 17h30 e 18h.

Até a última sexta-feira (8), o pregão funcionava até às 18h.

Saiba mais – B3 conclui aquisição de 75% da BLK Sistemas Financeiros

Quantidade de investidores na Bolsa de Valores bate recorde em fevereiro

O número de brasileiros investindo na B3 bateu recorde em fevereiro. Há, atualmente, cerca de 919 mil pessoas físicas, segundo a Bolsa de Valores de São Paulo.

Somente em fevereiro, a B3 ganhou 61 mil novos investidores – mais do que os 45 mil registrados em janeiro, quando a quantidade chegou a um total de 858 mil pessoas físicas investindo na Bolsa.

Homens ainda são a maioria entre os investidores, representando 78,04% (717.530) do total. Mulheres correspondem a 21,96% (201.873). As mulheres, no entanto, já chegaram a representar 25,30% do total de investidores em 2012, mas a taxa vem caindo desde então.

A quantidade de pessoas físicas investindo na Bolsa se manteve relativamente estável entre 2008 e 2016, oscilando dos 500 mil a 600 mil. Mas a partir de 2017 houve uma rápida expansão. Passou de 564 mil em 2016 para 619 mil em 2017, então 813 mil em 2018 e os 919 mil atuais.

Saiba mais – Bradesco BBI projeta Ibovespa batendo os 116 mil pontos no fim de 2019 

Lucro da B3 em 2018 é 70% maior que em 2017

A B3 anunciou em fevereiro que registrou um lucro líquido de R$ 2,087 bilhões em 2018, alta de 70,4% em relação a 2017. O balanço foi divulgado pela empresa em seu primeiro ano completo após a fusão da antiga BM&FBovespa e a Cetip.

O faturamento da B3 avançou 27,3% e atingiu R$ 1,458 bilhão no quarto trimestre de 2018, no comparativo do mesmo período do ano anterior. Contando os 12 meses de 2018, a receita total somou R$ 5,351 bilhões, um crescimento de 20,6% em relação a 2017.

O lucro líquido recorrente, sem contar os itens não recorrentes, seria de R$ 2,6 bilhões em 2018, um crescimento de 26,4% ante o ano anterior. O resultado financeiro, por outro lado, ficou negativo em R$ 53,7 bilhões no ano. As receitas financeiras totalizaram R$ 488,8 milhões, registrando uma queda de 46,8% em relação a 2017. As despesas financeiras também tiveram queda (30,9%) e somaram R$ 542,5 milhões.

“Em relação ao desempenho operacional, o ano de 2018 foi marcado pelo crescimento dos negócios dos clientes da B3, o que motiva a Companhia a seguir apoiando suas iniciativas de negócios com plataformas seguras e um rol de produtos cada vez mais completo”, informou a B3 em seu relatório.

Compartilhe a sua opinião

Amanda Gushiken
Amanda Sayuri Gushiken escreve sobre finanças e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, trabalhou selecionando notícias da imprensa para clientes do mercado financeiro. Também desenvolveu pesquisa acadêmica pela Universidade Anhembi Morumbi na área de Teorias da Comunicação e é fotógrafa nas horas vagas.