Avianca procura suspender liminar para ter acesso a crédito de US$ 370 milhões

Avianca procura suspender liminar para ter acesso a crédito de US$ 370 milhões
A Avianca solicitou à Justiça da Colômbia a suspensão de uma liminar que impede a empresa de ter acesso a uma linha de crédito.

A Avianca Holdings solicitou à Justiça da Colômbia, seu país de origem, a suspensão de uma liminar que impede a empresa de ter acesso a uma linha de crédito de US$ 370 milhões (cerca de R$ 1,93 bilhão). Em maio deste ano, a companhia entrou com um pedido de recuperação judicial em Nova York.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Na última sexta-feira (11), o Tribunal Administrativo da Corte de Cundinamarca concedeu uma liminar interrompendo o desembolso de um empréstimo de até US$ 370 milhões à Avianca. O crédito seria disponibilizado pelo Fundo Colombiano de Mitigação de Emergências (FOME) e faz parte dos empréstimos “debtor in possession” (DIP) do plano de recuperação da aérea.

A decisão tomada para a concessão da liminar foi resultado de uma ação popular que visa proteger os fundos do governo. Cidadãos do país, em um movimento organizado, exigem que a companhia forneça garantias suficientes para a concessão dos recursos, e que a taxa de juros do empréstimo seja maior do que o custo do fundo soberano.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Avianca cita importância do empréstimo e diz que oferece garantias

A modalidade de empréstimo DIP dá aos credores prioridade no recebimento dos valores liberados no processo de recuperação judicial. A Avianca, por sua vez, informou que pagará 11% de juros ao ano, além das taxas embutidas, superando, portanto, o custo do financiamento soberano.

Além disso, a companhia também disse que oferece garantias para cobertura de mais duas vezes o valor do empréstimo DIP na tranche A, etapa em que o governo colombiano participará. O projeto de recuperação da segunda maior companhia aérea da América Latina prevê empréstimos em DIP por meio de duas tranches, totalizando US$ 2 bilhões. Isso incui rolagem de dívidas, que será fornecida por mais de 90 credores.

Por meio de sua solicitação à Justiça, a Avianca informou que toda a sua estrutura de financiamento DIP proposta seria afetada se esse empréstimo não for condedido. As operações da empresa se tornaria insustentáveis, uma vez que soferia novas reduções de liquidez.

A Avianca Holdings — que engloba as empresas Avianca, Aerogal e Taca — alegou que ainda é a maior companhia aérea da Colômbia, que gera US$ 1,3 bilhão de receita fiscal por ano e emprega 123 mil pessoas, de forma direta e indireta.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião