Avianca: greve de funcionários cancela voos em São Paulo e no Rio

Avianca: greve de funcionários cancela voos em São Paulo e no Rio
Avianca

Funcionários da Avianca Brasil fazem uma greve desde a manhã desta sexta-feira (17). Por isso, ao menos cinco voos foram cancelados nos aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

Três voos da Avianca já foram cancelados em São Paulo. No Rio de Janeiro, o cancelamento foi de dois voos para São Paulo, além de um para Brasília. Os números são da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). De acordo com o site da Infraero, no país já são 16 voos cancelados.

No Rio de Janeiro, o protesto ocorre no saguão terminal do aeroporto Santos Dumont. Já em São Paulo, a estimativa é de que 200 funcionários estejam no saguão de Congonhas. O levantamento é do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA).

Saiba Mais: Avianca: justiça determina que 60% da operação seja mantida durante greve

A paralisação dos funcionários da Avianca reivindica o pagamento de salários atrasados. Além disso, eles também pedem a cobertura dos gastos com alimentação e transporte durante o trabalho. Os salários estão atrasados desde o dia 7 de maio.

O diretor executivo do SNA, Leonardo Souza, o protesto não é apenas pelos salários. “A gente tem hoje os aeronautas voando completamente desorientados emocionalmente. Isso porque estão sem receber suas verbas salarias e também sem saber se estarão empregados quando este avião pousar”, disse.

De acordo com o presidente da SNA, Ondino Dutra, os passageiros da Avianca estão sendo realocados para voos de outras companhias. Dessa forma, o objetivo, segundo Dutra, é cancelar boa parte das saídas da aérea de Congonhas nesta sexta.

Saiba Mais: Avianca: Justiça manda Cade se manifestar sobre leilão

Operação durante a greve

Por outro lado, a Justiça determinou na noite de quinta-feira (16) que 60% da operação da Avianca fosse mantida durante a greve dos funcionários nesta sexta. O Tribunal Superior do Trabalho decidiu atender ao pedido da aérea.

Saiba Mais: Avianca é suspensa pela Associação Internacional de Transporte Aéreo

Se a determinação não for cumprida nesta sexta, a ministra Dora Maria da Costa determinou que o sindicato pague uma multa diária de R$ 100 mil. Em contrapartida, o SNA argumenta que com a demissão de 900 funcionários não há “condições psicológicas” para manter os voos.

Avianca em crise

A Avianca é a quarta maior companhia aérea do Brasil e está em recuperação judicial desde dezembro 2018. Assim, o pedido foi registrado na 1ª Vara Empresarial de São Paulo em 10 de dezembro. Isso ocorreu após crescentes prejuízos e atrasos em pagamentos de arrendamento de aeronaves.

Sendo assim, por causa da falta de pagamento, os credores apresentaram recursos para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Dessa forma, a agência recebeu pedidos por retirar as aeronaves operadas pela empresa do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB).

Além disso, a Avianca Brasil também deixou de pagar seus funcionários. Antes da crise, a empresa possuía 5,3 mil funcionários, deles, 617 eram pilotos e 1,1 mil comissários.

Beatriz Oliveira

Compartilhe sua opinião