Negócios

ANP dá início a maior temporada de leilões da história do Brasil nesta quinta

0

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) irá dar início aos leilões de óleo e gás nesta quinta-feira (10), com a 16ª rodada de licitações.  A rodada marca a estreia do calendário de grandes leilões de óleo e gás do governo do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Os leilões promovidos pela ANP devem atrair gigantes que buscam a exploração de reservas na costa brasileira. Exemplos de empresas na disputa por blocos que constam nos leilões são:

  • Exxon Mobil
  • Chevron
  • BP
  • Royal Dutch Shell
  • Petrobras

O governo pretende gerar bilhões de dólares com os leilões, além de atrair investimentos bilionários, que são essenciais para alavancar a economia. O leilão mais aguardado é o que será feito em novembro, que trará uma oferta do excedente da cessão onerosa do pré-sal.

Veja também: Saudi Aramco afirma que processo do IPO não foi impactado após atentado

“Este é o mais atraente conjunto de áreas para petróleo já ofertado no Brasil”, afirmou Décio Oddone, diretor-geral da ANP. “O leilão do excedente da cessão onerosa é individualmente o maior leilão de área para produção de petróleo já feito no mundo”, reiterou.

Leilões de petróleo podem gerar R$ 237 bi ao governo e à Petrobras

Os leilões de três áreas de exploração de petróleo e gás poderão gerar R$ 237 bilhões ao Governo Federal e à Petrobras. Cerca de R$ 120 bilhões deverão ser pagos a petroleira por conta de investimentos em áreas que serão leiloadas. As informações são do Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (IBP).

Os outros R$ 117 bilhões serão do bônus de assinatura, uma taxa que as empresas que vencem o leilão pagam para assinar o contrato. O primeiro leilão de petróleo, de blocos do pós-sal, está agendado para esta quinta-feira (10).

Em contrapartida, as licitações do pré-sal devem acontecer nos dias 6 e 7 de novembro. O presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, disse, na última terça-feira (8), que a aceleração dos investimentos em projetos de exploração e produção de petróleo nas áreas do pré-sal é necessária.

“O Brasil é cada vez mais o destino dos investimentos, porque tem demonstrado que possui regras estáveis, que voltou a ter regularidade nos leilões e isso ajuda a criar um bom ambiente de negócios”, disse o secretário executivo de Exploração e Produção do IBP, Antônio Guimarães.

Veja também: Petrobras conclui a venda dos campos do Rio de Janeiro à Perenco por US$ 398 milhões

Há uma grande expectativa ao redor das bacias de Campos e Santos. A ANP está oferecendo ao mercado a oportunidade de compra das duas maiores regiões produtoras do Brasil.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.