Negócios

Ambev produzirá protetores faciais com garrafa PET

0

A Ambev anunciou que produzirá 500 mil protetores faciais para profissionais da saúde e a matéria prima usada será o PET usado nas garrafas do Guaraná Antarctica.

Além da Ambev, uma comissão de especialistas teve que aprovar o projeto, entre os integrantes, estão:

  • Inova HC da USP;
  • Professor Rubens Berlfort (Academia Nacional de Medicina);
  • Professor João Alessio (Hospital São Paulo).

O protetor facial para o rosto inteiro começará a ser distribuído já na próxima semana para profissionais da saúde e a sua fabricação acontecerá em Guarulhos, em uma empresa que tem parceria com a Ambev.

Outras iniciativas da Ambev durante a crise

Em março, a cervejaria anunciou que produziria 500 mil unidades de álcool em gel para que fossem doados aos hospitais públicos das seguintes unidades federativas:

  • Rio de Janeiro;
  • São Paulo;
  • Distrito Federal.

Além disso, estava determinado que seriam entregues 5 mil frascos para cada unidade.

Saiba mais: Ambev suspende projeções de resultados por avanço do coronavírus

“A demanda pelo álcool em gel segue aumentando nos últimos dias e já existe falta do produto no mercado. Considerando que uma das restrições para a sua reposição é a embalagem para envase, a Ambev disponibilizará o álcool em gel em garrafas PET como as utilizadas para suas bebidas, que hoje não estão em falta”, informou a cervejaria, em nota.

Desse modo, a empresa dobrou sua produção para poder ampliar as doações que foram estendidas para todos os estados do Brasil.

Coronavírus e Mercado Financeiro | Saiba quais oportunidades você pode estar perdendo

Entretanto, para isso, a empresa teve que criar linhas de fabricação exclusivas e até comprar novos equipamentos. As fábricas que estão envolvidas no processo são as do Piraí (RJ) e Jaguariúna (SP), essas são responsáveis por extrair o álcool proveniente do processo de fabricação da cerveja, e também envasar o álcool em gel.

Ademais, a escassez da matéria prima, carbopol, no mercado  não impediu a produção, já que o Centro de Engenharia da Ambev conseguiu desenvolver uma nóva fórmula para o produto, dispensando as moléculas de carbopol.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Laura Moutinho
Estagiaria na Suno Notícias, escreve notícias que afetam o mercado financeiro. Estuda administração na Universidade Presbiteriana Mackenzie.