Negócios

Amazon mira streaming com Fire TV

0

A Amazon, gigante norte-americana, dirige seu foco ao serviço de streaming. A empresa planeja lançar o Fire TV em novos mercados e ampliar a sua presença onde já atua.

Fontes disseram à Bloomberg que a Amazon expandirá sua operação no Reino Unido e na Alemanha. A companhia dará mais detalhes em evento na Europa na próxima semana.

O Fire TV é um aparelho que permite que espectadores assistam ao conteúdo da Amazon, além da Netflix, em seus televisores.

Com cada vez mais espectadores parando de utilizar a TV a cabo, a Amazon pretende fazer da Fire TV o decodificador da internet. A multinacional, no entanto, ainda não comentou seus planos.

Confira: Confira as 25 marcas mais valiosas do Brasil; Magalu tem maior crescimento

A Amazon oferece um conjunto de produtos neste segmento:

  • um decodificador Fire TV
  • um aparelho que pode ser conectado a uma TV
  • um sistema operacional que pode ser utilizado em televisores de fabricantes terceirizados

A companhia almeja desenvolver e expandir o uso do Prime Video, um dos maiores serviços de streaming do mundo, com mais de 100 milhões de usuários.

A companhia é a segunda maior na categoria de sistemas operacionais de TV online e decodificadores, apenas atrás da Roku. As duas empresas possuem cerca de 70% do mercado, com milhões de usuários ao redor do mundo.

Amazon aumenta o portfólio no Brasil

Após iniciar o ano comercializando cerca de 120 mil itens distintos ao consumidor final, na última quinta-feira (29), a Amazon declarou que esse montante agora alcança pouco mais de 200 mil produtos, reportando uma alta de quase 70%.

Segundo Alex Szapiro, diretor-geral, a companhia vem ampliando a carteira com produtos que “resolvem o problema dos clientes”. Dentre as categorias que foram incorporadas no portfólio do País nos últimos meses estão itens de moda e vestuário e discos de vinil, por exemplo.

O executivo afirmou à imprensa sobre a dificuldade de fazer os fabricantes brasileiros assimilarem o modelo de operação da companhia norte-americana, acostumada com um método específico nos Estados Unidos.

Veja também: CEO da Magazine Luiza diz que Amazon não oferece perigo a sua empresa

“Há uma questão sobre como convencer fornecedores brasileiros da forma como a gente opera. Por exemplo, estive numa reunião com um fabricante e disse que gostaríamos de ter tudo o que ele vende no nosso inventário, mesmo produtos das curvas C, D, E [itens de menor giro]”, afirmou o diretor da Amazon.

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.