Negócios

Alphabet doará mais de US$ 800 mi para ajudar no combate ao coronavírus

0

A dona do Google, Alphabet, anunciou que doará mais de US$ 800 milhões para que sejam fabricados mais suprimentos médicos necessários para combater o coronavírus (Covid-19). As informações são da agência “Reuters” e foram publicadas na última sexta-feira (27).

Além disso, o valor também será destinado a créditos de publicidade para governos e organizações de saúde, de acordo com o presidente-executivo da gigante tecnológica, Sundar Pichai.

Saiba mais: Bolsa em queda livre!? Aproveita as maiores oportunidades da bolsa brasileira com nosso acesso Suno Premium

A Alphabet trabalha em conjunto com a Magid Glove an Safety para que sejam produzidas de 2 milhões a 3 milhões de máscaras hospitalares. Ademais, a empresa mãe do Google também irá conceder um montante para que haja um aumento na capacidade de produção desses equipamentos médicos, afirmou Pichai.

Resultados da Alphabet no quarto trimestre de 2019

A Alphabet, controladora do Google, registrou lucro líquido de US$ 10,67 bilhões (US$ 15,35 por ação) no quarto trimestre de 2019. O montante indica alta de 19,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. O balanço de resultados foi divulgado, no dia 3 de março, pela companhia norte-americana.

Veja também: Eletrobras (ELET6) registra lucro em queda de 20% em 2019

O resultado está acima da previsão dos analistas consultados pela “FactSet” que esperavam um lucro de US$ 12,49 por ação. A receita da Alphabet também teve alta de 17% na comparação, para US$ 46,075 bilhões. No entanto, neste caso os analistas esperavam um valor superior de US$ 46,94 bilhões.

De acordo com a gigante norte-americana, a receita com publicidade aumentou 16,6%, para US$ 38 bilhões. Somente com o YouTube, os recursos obtidos por meio de publicidade passaram de US$ 3,6 bilhões, no mesmo período de 2018, para US$ 4,7 bilhões.

Além disso, a receita da Alphabet com Google Search aumentou 16,6% na comparação anual e atingiu US$ 27,2 bilhões. Os ganhos com o Google Cloud, serviço de armazenamento em nuvem da empresa, avançaram 53% entre outubro e dezembro e passaram para US$ 2,6 bilhões.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.