Internacional

Alemanha: Economia deve ficar estagnada no 4T19, aponta Bundesbank

0

A economia da Alemanha não deve ter queda ou crescimento no 4º trimestre de 2019, de acordo com a avaliação do Bundesbank. A instituição apontou que ao ponto que o país evitou uma recessão, ainda não há sinais suficientes que mostrem uma melhora significativa em breve.

O Banco Central da Alemanha também mostrou que existem sinais moderados de que a baixa da indústria manufatureira do país pode estar enfraquecendo. De acordo com a autoridade monetária, a demanda doméstica deve continuar oferecendo suporte à economia.

“A fase de fraqueza da economia alemã deve se estender até o trimestre final deste ano, mas provavelmente não vai piorar significativamente. Na perspectiva atual, a produção pode ficar estagnada”, informou a instituição.

Veja também: Governo da Alemanha pode reduzir previsão para o PIB em 2020

“Na maior parte, a economia provavelmente não fez progressos no segundo semestre”, reiterou o Banco Central da Alemanha, apontando que “não existe atualmente nenhum motivo para temer que o país entre em recessão”.

Aumento de exportações da Alemanha

A Alemanha proporcionou um alívio para a economia da Europa após divulgar dados, há aproximadamente duas semanas, que mostram que as exportações do país registraram o maior avanço desde novembro de 2017 e ultrapassou as estimativas de economistas. A Agência Federal de Estatísticas da Alemanha informou que as exportações cresceram 1,5%, no mês em questão, com ajuste sazonal. A expectativa dos economistas era de que o aumento fosse de 0,4%.

“Embora não haja dúvida de que a indústria está em recessão, toda a economia alemã pode ter evitado outra contração – e, portanto, uma recessão técnica – no último minuto”, afirmou Carsten Brzeski, economista do ING. A economia da Alemanha diminuiu 0,1% no segundo trimestre e dados recentes mostram que a manufatura pode ter tido uma performance ruim no terceiro trimestre.

Caso isso seja confirmado, a Alemanha pode entrar em uma recessão técnica, que é definida, geralmente, quando o país possui dois trimestres de contração consecutivos.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.