Airbnb planeja fazer pedido de IPO confidencialmente em 2020

Airbnb planeja fazer pedido de IPO confidencialmente em 2020
Airbnb planeja fazer seu pedido de IPO ainda em agosto

A empresa de aluguel de casas, Airbnb, planeja apresentar o pedido de Oferta Pública Inicial (IPO) à Securities and Exchange Commission (SEC) no final deste mês, preparando-se para uma possível listagem antes do final do ano. As informações foram divulgadas nesta terça-feira (11) pelo jornal “The Wall Street Journal”.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

De acordo com o jornal norte-americano, o Airbnb está prestes a abrir o seu capital em um movimento que indicaria uma recuperação surpreendente para o maior aplicativo de compartilhamento e aluguel de casa no mundo. Entretanto, não há garantia de que a empresa dará seguimento ao processo, em parte devido à notória volatilidade do mercado de IPOs.

A mudança tão esperada trará ao mercado financeiro um dos principais agentes do setor de empresas de compartilhamento, ao lado das plataformas de transporte Uber (NYSE: UBER) e Lyft (NASDAQ: LYFT). O Airbnb foi avaliado recentemente em US$ 18 bilhões (cerca de R$ 97,09 bilhões), ante uma avaliação anterior de US$ 31 bilhões.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Uma estreia na bolsa de valores também marcaria uma reviravolta para o Airbnb, que foi fundado em 2008 e permite que as pessoas listem suas casas para alugar. Por anos, a empresa desejou continuar com investimentos privados, apesar de se tornar uma das startups mais valorizadas, com US$ 4,8 bilhões em receita em 2019.

No entanto, os gastos também aumentaram, levando-a a registrar prejuízo nos primeiros nove meses de 2019, em comparação com um lucro líquido de US$ 200 milhões no ano anterior, relatou o “The Wall Street Journal”. Seus problemas se agravaram no ano passado, depois que surgiram questões envolvendo crimes e problemas de segurança em sua plataforma.

À medida que o coronavírus (covid-19) se disseminava pelo mundo, os obstáculos para a empresa aumentaram. As pessoas pararam de viajar, fazendo com que as reservas despencassem. O Airbnb, há três anos avaliado em mais de US$ 30 bilhões, correu para garantir financiamento com escritórios de private equity, Silver Lake e Sixth Street Partners, a uma alta taxa de juros e com uma valuation de US$ 18 bilhões. Em maio, a Airbnb anunciou que demitiria um quarto de sua equipe.

Saiba mais: Airbnb em crise pede empréstimos de US$ 1 bi por causa do coronavírus

Porém, uma mudança no comportamento dos consumidores possibilitou que, no segundo trimestre de 2020, a recuperação do Airbnb tenha sido surpreendentemente rápida. Mesmo com um aumento significativo na quantidade de pessoas presas em casa, ainda houve buscas por reservas de casas para alugar. Em 8 de julho, os hóspedes reservaram mais de 1 milhão de noites em futuras estadias nas listagens do Airbnb em todo o mundo, disse a empresa.

Veja também: Airbnb ‘sacode’ administração e volta a por planos de IPO na mesa

Se o Airbnb abrir o seu capital em 2020, poderá fazê-lo em um dos mercados mais receptivos para IPOs em anos. Os IPOs listados nos EUA levantaram mais de US$ 60 bilhões até agora em 2020, de acordo com a Dealogic, caminhando para o nível mais alto desde o boom da tecnologia em 2000.

Daniel Guimarães

Compartilhe sua opinião