Negócios

Agenda do Dia: Boletim Focus, privatizações e guerra comercial

0

Os assuntos da Agenda do Dia desta segunda-feira (9) prometem movimentar o mercado doméstico e internacional.

Na Agenda do Dia, temos as atenções voltadas ao Boletim Focus com as projeções macroeconômicas para este ano. Em entrevista ao “Valor”, Paulo Guedes, ministro da Economia, disse que, por ele, todas as estatais deveriam ser privatizadas.

A Petrobras anunciou que planeja investir em fontes renováveis apenas em caráter de pesquisa. A China começou a demonstrar sinais reais da guerra comercial, após registrar queda de suas exportações.

Estas e outras notícias fazem parte da Agenda do Dia desta quarta. Confira os principais pontos:

Boletim Focus

Os economistas entrevistados pelo Banco Central (BC) no Boletim Focus mantiveram a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019. Segundo o Boletim divulgado nesta segunda-feira (2), a economia brasileira deverá crescer 0,87% esse ano.

A previsão de crescimento da economia brasileira para 2020 passou de 2,10% para 2,07%. Uma estimativa próxima à projeção oficial do Banco Central e também do ministério da Economia.

Saiba mais: Boletim Focus confirma previsão de crescimento do PIB em 2019

Para 2021 e 2022 as previsões do Produto Interno Bruto foram mantidas em 2,50%.

Privatizações segundo Paulo Guedes

Em entrevista ao jornal “Valor”, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que irá propor a privatização de todas as empresas estatais. Entretanto, a decisão final é do Congresso.

Saiba mais: Paulo Guedes pretende propor a privatização todas as estatais, afirma jornal 

“A minha obrigação é fazer o diagnóstico e entregar a prescrição. O Congresso vai decidir”, afirmou o ministro.

Conforme ele, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) apoia integralmente as privatizações.

“Todos os dias ele cobra: ‘Poxa Salim [Salim Mattar, secretário de Desestatização e Desinvestimento], tem que vender uma por semana, está demorando muito”.

Planejamento da Petrobras

Concentrada em diminuir sua alavancagem financeira, a Petrobras não pretende investir em projetos de fontes limpas, no que diz respeito ao aspecto comercial.

A estratégia da companhia estatal vai em desencontro a de outras gigantes petroleiras. As empresas europeias estão procurando diversificar o seu portfólio, reduzindo a produção de carbono.

“Estamos investindo em pesquisa apenas. Não vamos investir em operações que requerem competências diferentes do negócio de petróleo e gás. Primeiro, se formos entrar nesse jogo, nós temos que entrar para ganhar”, disse o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

Impactos na China

As exportações chinesas no mês de agosto recuaram 1%, frente a uma expectativa de alta de 2%, segundo analistas afirmaram à Reuters.

As vendas aos EUA retraíram 16% na comparação com o mesmo período no ano passado, refletindo os impactos reais dos tarifas impostos durante os desdobramentos da guerra comercial. Já as importações recuaram 22,4%.

De acordo com a CNBC, a estimativa é de que os resultados comerciais possam levar o governos a implementar mais medidas de estímulo para sustentar o crescimento econômico. As bolsas na Ásia fecharam majoritariamente em alta.

A Agenda do Dia da Suno mostra os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia.

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.