Agenda do Dia: Oi; Marfrig; JBS; Lojas Americanas; CCR

Agenda do Dia: Oi; Marfrig; JBS; Lojas Americanas; CCR
Oi

Os assuntos da Agenda do Dia desta segunda-feira (9) prometem mexer com o mercado interno e o externo.

A Oi fez um novo pedido à Sétima Vara Empresarial do Rio de Janeiro. Enquanto isso, a Marfrig, segunda maior indústria de carne bovina do planeta, informou que sua oferta de ações deve movimentar R$ 3,3 bilhões. Estas e outras notícias fazem parte da Agenda do Dia desta segunda.

A Agenda do Dia conta também com a notícia sobre a JBS, que comunicou ao mercado que está estudando uma possível listagem de ativos internacionais nos EUA.

Confira os principais pontos da Agenda do Dia:

Oi

A Oi (OIBR3;OIBR4) comunicou que requereu à sétima Vara Empresarial do Rio de Janeiro que sua recuperação judicial seja estendida. Assim, a supervisão judicial não será encerrada em 4 de fevereiro de 2020 e o processo permanecerá em andamento.

De acordo com a empresa de telecomunicações, a medida não terá nenhum efeito sobre o plano de recuperação judicial que já está sendo executado. “O não encerramento da recuperação judicial permitirá que as empresas Oi continuem a executar com transparência e estabilidade o seu plano de recuperação judicial e manterá as empresas Oi focadas na melhoria da qualidade voltada aos seus clientes”, afirmou a empresa em comunicado à CVM.

Marfrig

A oferta subsequente de ações (follow-on) da Marfrig (MRFG3) deve movimentar aproximadamente R$ 3,3 bilhões, levando em conta as parcelas primária e secundária.

Na última sexta-feira (6), a empresa anunciou que iria realizar a operação para captar recursos. Além disso, o BNDESPar irá se esfazer de todas as 209,6 milhões de ações que detém da companhia atualmente. O valor estimado para a parte do BNDESPar é de R$ 2,3 bilhões. Caso as ações sejam vendidas, o banco irá fechar o investimento que começou em 2007.

JBS

A JBS (JBSS3) comunicou que avalia abrir capital nos Estados Unidos. Entretanto, a empresa negou que tem como objetivo transferir sua sede para o exterior.

De acordo com a companhia, a abertura de capital no mercado norte-americano é um dos pilares do plano de reestruturação financeira para o grupo concorrer no mercado mundial.

Lojas Americanas

As Lojas Americanas e a B2W estão prevendo que a empresa estará em outro nível de crescimento em três anos. As empresas não informam o valor que será investido para que isso se concretize. Vale destacar que sócios da Americanas concluíram uma nova capitalização na B2W há alguns meses. O montante foi de R$ 2,5 bilhões.

Veja também: Boletim Focus aumenta previsão do PIB para 2019

A operação de venda online da B2W tem crescido abaixo de seus principais rivais, como Mercado Livre e a Magazine Luiza. O dado anterior é baseado em termos de receita.

A estimativa da empresa é de que a venda bruta da Lojas Americanas em 2022 avance 40%.

CCR

A CCR informou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que seu Conselho de Administração aprovou a emissão de debêntures no montante de R$ 800 milhões. Sendo assim, a empresa irá fazer sua 12ª emissão de debêntures, não conversíveis em ações e com prazo de seis anos para resgate a partir da emissão. O valor unitário de cada debênture será de R$ 1 mil.

A Agenda do Dia da Suno mostra os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião