Negócios

Agenda do Dia: MRV; Vale; Petrobras; Lojas Americanas; Itaú

0

Os assuntos da Agenda do Dia desta sexta-feira (17) prometem mexer com o mercado interno e o externo.

A MRV prevê uma nova expansão em 2020. A Vale teve forte influência sobre o preço do minério de ferro em 2019. Além disso, a Petrobras informou que pretende realizar leilões para vender o gás natural que importa da Bolívia.

A Agenda do Dia conta também com a notícia sobre a Lojas Americanas, que levantou R$ 222 milhões com seu aumento de capital.

Confira os principais pontos da Agenda do Dia:

MRV

O copresidente da MRV (MRVE3), Rafael Menin, comunicou na última quinta-feira (17) que 2020 será um ano de crescimento. De acordo com Menin, o cenário de juros em queda é um atrativo para a retomada da compra de imóveis para investimento. Sendo assim, a MRV venderá e produzirá mais. “A MRV vai surfar neste novo Brasil”, disse.

A empresa trabalha atendendo famílias que possuem renda mensal de R$ 2 mil a R$ 8 mil. Além disso, o programa Minha Casa Minha Vida é um dos principais pilares da empresa.

Vale

O preço do minério de ferro obteve valorização de 30% no ano passado, chegando a alcançar uma média de US$ 90 por tonelada. A queda considerável das exportações brasileiras, por conta da baixa das remessas da Vale, que é a maior produtora mundial de minério de ferro, é um dos motivos que fazem com que os preços sejam mantidos. Entretanto, a maioria dos analistas estimam que os preços do minério de ferro irão diminuir durante este ano.

É importante destacar que a Vale teve sua capacidade de produção cortada no ano passado por conta do rompimento das barragens em Minas Gerais, que culminou na morte de 250 pessoas.

Petrobras

A Petrobras (PETR4) informou na última quinta-feira (16) que pretende realizar leilões para vender o gás natural que importa da Bolívia. A informação foi dada pelo diretor da Agência Nacional de Petróleo (ANP), José Cesário Cecchi.

Segundo Cecchi, a Petrobras venderá parte do gás natural contratado junto à estatal boliviana YPFB pelo preço de compra somado a uma margem de comercialização de 2,4%.

“A Petrobras vai repassar os contratos de venda da molécula que tem com a YPFB e de compra da capacidade de transporte que tem com a TBG [Transportadora Gasoduto Bolívia-Brasil], com uma margem de comercialização. Ela vai se tornar uma comercializadora para terceiros”, afirmou Cecchi.

Lojas Americanas

A Lojas Americanas informou, na última quinta-feira (16), que levantou R$ 222 milhões com seu aumento de capital. A operação foi realizada por meio da subscrição de 5,1 milhões de ações ordinárias e 9,9 milhões de preferenciais. O restante, cerca de 430 mil ações, serão oferecidas na B3 até o dia 27 de janeiro.

Itaú

O Itaú Unibanco (ITUB4) anunciou, na última quinta-feira (16), a captação de US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 6,28 bilhões). A operação realizada nos Estados Unidos envolve duas séries de notas seniores.

Veja também: Helbor prevê crescimento de 133% nas vendas no 4T19

A primeira totalizou US$ 1 bilhão vencendo em janeiro de 2023, tendo uma taxa fixa de 2,90% ao ano. A segunda, que teve valor de US$ 500 milhões, vence em janeiro de 2025 e pagará 3,25% ao ano. De acordo com o Itaú, todos os papéis foram negociados por 100% de seu valor de face. Desta forma, seu rendimento será apenas o proporcionado pelos juros.

Os papéis foram oferecidas apenas para investidores institucionais qualificados. O Itaú Unibanco informa que os recursos serão utilizados para “propósitos corporativos gerais”.

A Agenda do Dia da Suno mostra os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.