Agenda do Dia: Correios; FedEx; Cemig; Odebrecht; Vivara

Agenda do Dia: Correios; FedEx; Cemig; Odebrecht; Vivara
Correios estão caminhando para privatização, diz Bolsonaro

Os assuntos da Agenda do Dia desta quarta-feira (9) prometem agitar o mercado interno e externo.

Os Correios estão estudando ampliar o corte de gastos da empresa para R$ 2,3 bilhões. O Fedex está com planos de expansão dos negócios e está focado em alavancar o setor de entregas no segmento de comércio eletrônico. Estas e outras notícias fazem parte da Agenda do Dia desta quarta.

A Agenda do Dia conta também com a notícia sobre a Odebrecht, que afirmou à Justiça que a Caixa agiu de ‘má-fé’ ao pedir falência da construtora.

Confira os principais pontos da Agenda do Dia:

Correios

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) está avaliando um possível aumento no seu programa de corte de gastos. Isso se deve ao fato de seus rivais terem avançado no mercado de entregas expressas e, consequentemente, sua previsão de receita para este ano ter diminuído.

Veja também: Santander prevê crescimento anual da carteira de crédito de 10% até 2022

Inicialmente, os Correios tinham como plano uma diminuição de R$ 1,4 bilhão em despesas até o fim do ano que vem. Segundo informações do “Valor Econômico”, a ECT quer aumentar essa meta para R$ 2,26 bilhões.

FedEx

O FedEx anunciou que está com planos de expansão dos negócios e está focado em alavancar o setor de entregas no segmento de comércio eletrônico. Além disso, até maio do ano que vem, a empresa deve renovar 400 veículos de sua frota de 2,8 mil unidades.

Os caminhões, carretas e vans foram comprados de três grandes montadoras:

  • Mercedes-Benz;
  • Fiat;
  • Facchini.

Ademais, para aumentar sua participação no e-commerce a companhia tem tratado com varejistas de grande porte e algumas startups, para ajudá-las a ganhar mercado.

Cemig

A Justiça de Minas Gerais decidir manter a multa de R$ 12 milhões à Cemig (CMIG4), ocasionada por “irregularidades encontradas”. A vistoria da área econômico-financeira e patrimonial da concessionária, no início de 2013, levantou suspeitas que foram averiguadas pelas autoridades.

O processo levou em consideração os argumentos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Advocacia-Geral da União (AGU), julgando inconcludente o pedido da Cemig.

Odebrecht

Os advogados da Odebrecht afirmaram à Justiça que a Caixa Econômica Federal agiu de “má-fé” ao solicitar a falência da construtora.

“As recuperadas (Odebrecht e algumas subsidiárias) requerem que a Caixa Federal se abstenha de adotar o comportamento temerário destacado nesta manifestação (a defesa da construtora), sob pena de aplicações de sanções processuais cabíveis nos termos do artigo 81 do Código do Processo Civil”, informa o documento enviado ao juiz na última segunda-feira (7) divulgado pelo jornal “O GLOBO”.

Veja também: Demanda por petróleo diminuirá em 2020, diz Agência Internacional de Energia

Desse modo, a construtora solicitou à Justiça que a estatal se abstenha de adotar posturas como da última semana. O juiz do caso deverá se posicionar nos próximos dias com alguma decisão sobre o pedido da construtora sobre a conduta da Caixa.

Vivara

A Vivara (VIVA3) estreará na quinta-feira (10) na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), cotada a R$ 24. A rede de joalherias terá o valor de mercado de R$ 5,67 bilhões.

Petrobras

Os leilões de petróleo poderão gerar R$ 237 bilhões ao Governo Federal e à Petrobras. Aproximadamente R$ 120 bilhões deverão ser pagos a petroleira por conta de investimentos em áreas que serão leiloadas. As informações são do Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (IBP).

A Agenda do Dia da Suno mostra os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião