Negócios

Agenda do Dia: Correios; Amazon; China e EUA; Telefônica

0

Os assuntos da Agenda do Dia desta quarta-feira (11) prometem agitar o mercado interno e externo.

Os Correios anunciaram greve nacional na noite da última terça-feira (10). O serviço Prime da Amazon mexeu com o mercado brasileiro e principalmente com as varejistas. Estas e outras notícias fazem parte da Agenda do Dia desta quarta.

A Agenda do Dia conta também com a notícia sobre as tensões entre Estados Unidos e China na guerra comercial.

Confira os principais pontos da Agenda do Dia:

Contra privatização, Correios anunciam greve

Funcionários dos Correios anunciaram greve nacional por tempo indeterminado na noite da última terça-feira (10). Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial pela inflação, de 3,43%, e a manutenção de benefícios. Além disso, os funcionários também são contra a privatização da empresa.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares (Sintect-SP), os trabalhadores “não tiveram” outra opção, após a direção da estatal e o governo se “negarem” a negociar com os funcionários.

Amazon Prime causa forte impacto no mercado brasileiro

As concorrentes da Amazon, somente na última terça-feira (10), perderam R$ 4,7 bilhões em valor de mercado. O valor perdido teve grande influência da entrada do serviço Prime, da empresa norte-americana, no Brasil.

Na segunda-feira (9), Magazine Luiza, Lojas Americanas, B2W DIgital e Via Varejo somavam R$ 103,7 bilhões na B3. No final do pregão de ontem, após o anúncio do lançamento da Amazon Prime, todas as varejistas somaram R$ 103,7 bilhões na Bolsa de Valores de São Paulo.

Veja também: Amazon Prime ‘ainda fica abaixo’ do Magazine Luiza e da B2W, diz Bradesco BBI

China retira tarifas de produtos dos EUA

A Comissão de Tarifas Aduaneiras do Conselho de Estado da China publicou, nesta quarta-feira (11), uma lista de produtos dos Estados Unidos que serão isentos de tarifas que estavam sendo cobradas desde 2018.

Em outubro, os dois países devem se reunir novamente para negociar um acordo sobre a guerra comercial entre as potências. As tarifas sobre produtos dos EUA foram sanções impostas pelo governo da China a fim de abalar a economia norte-americana, como resposta as imposições de Donald Trump sobre os produtos chineses.

Veja também: Ford encerra em baixa de 1,26% em NY após Moody’s rebaixar seu rating

Telefônica deve gastar 1,6 bi com demissões e requalificação

A Telefônica irá gastar 1,6 bilhões de euros com demissões e requalificação de funcionários na Espanha. A controladora da Vivo no Brasil espera que a medida gere uma economia de aproximadamente 220 milhões de euros ao ano, após 2020.

A Agenda do Dia da Suno mostra os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.