Acesso Rápido

    Valor Intrínseco e Investimentos, por Warren Buffett

    Muitos indivíduos gostam de complicar o mundo dos investimentos. Eu acredito que não se trata de algo complicado, mas devo ressaltar que o fato de não ser complicado não significa que seja fácil. Significa apenas que não é algo “de outro planeta”.

    Entendo que muitos façam essas complicações, pois quanto mais complicado parece, mais inteligentes soam as ideias destas pessoas.

    No entanto, sei que temos muitos iniciantes por aqui. Portanto, vamos retornar à parte básica dos investimentos com a seguinte pergunta: o que realmente é investir?

    Buffett traz a seguinte resposta a este questionamento: “Investir é colocar dinheiro agora para conseguir mais dinheiro posteriormente”.

    Antes de tudo, partiremos da ideia do valor do dinheiro no tempo. Isto é, um real que você tem em suas mãos hoje vale mais do que um real no futuro. Isso porque você pode investir este dinheiro hoje, para ganhar retornos no futuro, sem falar da inflação. Portanto, sabemos agora que o dinheiro tem valor no tempo.

    A definição de valor intrínseco

    A partir daí, trago o conceito de valor intrínseco, proferido por Warren Buffett, de maneira bem didática:

    “O valor intrínseco de um negócio – se pudéssemos saber perfeitamente do futuro – é o valor presente de todo o dinheiro que será distribuído pelo negócio entre hoje e o fim dos tempos, descontado de uma taxa de desconto apropriada. De fato, não podemos fazer estimativas perfeitas. O cálculo do valor intrínseco não é simples, embora sua definição seja”.

    Um título de renda fixa já possui seus fluxos de caixa estampados em si. Isto é, sabemos qual será a correção do capital inicial pelos juros.

    Já numa ação, isso não acontece, de modo que o trabalho da análise fundamentalista é justamente este: imprimir na ação o seu valor intrínseco, assumindo uma ampla gama de premissas na estimativa.

    No investimento em valor, seguindo a filosofia de Buffett, devemos comprar os ativos com mentalidade de dono. Deste modo, a expectativa do retorno não se concentra na venda do ativo, mas no que ele irá produzir ao longo do tempo.

    Buffett, tornando tudo mais simples aos investidores aprendizes, nota que as primeiras leis dos investimentos foram definidas há muito tempo.

    A parábola que ilustra os investimentos

    Assim, para ilustrar, ele traz como analogia uma famosa parábola, em sua versão em inglês: “mais vale um pássaro na mão do que dois no arbusto”.

    Warren observa que esta é uma parábola até inteligente que pode ser adaptada para o mundo dos investimentos. No entanto, o investidor afirma que existem mais algumas questões a serem observadas para identificar a atratividade do investimento:

    1. Quando você conseguirá pegar os outros pássaros? Quantos eles são?
    2. Quão certo você está de que conseguirá pegá-los?
    3. Qual será o seu retorno?

    O que Buffett quer dizer é: tudo depende da taxa de desconto e do tempo que você levará para tirar os pássaros do arbusto, bem como sua certeza de que conseguirá pegá-los. Neste sentido, também cabe olhar qual o melhor arbusto para tentar conseguir pegar mais pássaros.

    Trazendo para o cenário de investimentos de maneira mais concreta, precisamos responder às questões:

    1. Quando a empresa irá gerar o fluxo de caixa, e de quanto ele é esperado?
    2. O quanto você conhece da empresa e de suas vantagens competitivas?
    3. O retorno que o negócio te proporciona justifica o investimento? Ou existem outros negócios melhores?
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    2 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Douglas 29 de agosto de 2019

      Os melhores artigos de economia e investimentos do país.

      Responder
    • Victor 13 de maio de 2020

      Não mostrou o cálculo…Buffet usa a fórmula de John Burr Williams para determinar o valor de uma empresa. Tiago, faça um artigo explicando detalhadamente e com alguma empresa da nossa B3.
      Vlwww

      Responder