Acesso Rápido

    Trocar de carro: saiba o que deve ser analisado para realizar a mudança

    Trocar de carro: saiba o que deve ser analisado para realizar a mudança

    Trocar de carro é um hábito comum para muitos brasileiros. A tentação de pegar um carro mais novo, mais espaçoso e mais potente ainda faz a cabeça de muita gente. 

    Mas até que ponto vale a pena trocar de carro? Do ponto de vista das finanças pessoais, é preciso considerar uma série de fatores para não sair perdendo. 

    Trocar de carro é mesmo necessário?

    A primeira pergunta que precisa ser feita para quem deseja trocar de carro é simples: será que a troca é realmente necessária?

    Se a resposta for titubeante, esse pode ser um indício de que o consumidor está seguindo um capricho pessoal ou mirando uma mudança de status.

    Planilha de Controle de Gastos

    Não perca o controle das suas finanças! Baixe nossa planilha gratuita de controle de gastos e organize melhor toda a sua vida financeira!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    O risco, nesse caso, é acabar prejudicando a organização financeira da família para sustentar esse luxo.

    Quem troca de carro de forma constante, sem planejamento financeiro, acaba acumulando dívidas que não terminam, apenas pelo prazer de ter o carro do ano na garagem. 

    Para descobrir se está na hora certa de trocar de carro, algumas perguntas simples podem ajudar. Por exemplo:

    • O carro está incomodando com manutenções recorrentes?
    • O veículo está se desvalorizando rapidamente?
    • O carro não atende mais às suas necessidades e da sua família?
    • Sua vida vai melhorar na prática com a troca de carro?

    Caso a resposta seja positiva para alguma dessas perguntas, talvez seja realmente o momento de avaliar uma troca. Há momentos em que, com planejamento, a troca de carro realmente pode ser a melhor escolha.

    Precisa de ajuda para planejar as finanças da sua família? Baixe a nossa Planilha da Vida Financeira e coloque as finanças em dia. 

    Quando vale a pena trocar de carro?

    Carros não são investimentos, então não há como esperar um retorno financeiro diante desse gasto.

    Mas trocar de carro pode valer a pena quando o automóvel deixa de atender às suas necessidades.

    Nesse caso, o custo financeiro da troca é compensado pela mudança na qualidade de vida.

    Isso pode ocorrer em diversas situações, que estão relacionadas às perguntas do início do artigo. Veja quando trocar de carro:

    • Excesso de manutenções e alto valor gasto mensalmente para manter o carro rodando;
    • Desvalorização veloz do carro, seja porque ele está muito velho, com alta quilometragem ou porque o veículo saiu de linha;
    • Carro que não atende às necessidades básicas da família, o que inclui carro pequeno para família grande, família que viaja com carro de porta malas pequeno, carro sem ar condicionado em cidades de temperatura muito alta, etc.

    O que analisar na troca de carro?

    Caso seja decidido a troca de carro, é necessário realizar uma pesquisa e negociar para fazer o melhor negócio possível.

    A troca de carro pode ser feita de diversas maneiras. Você pode simplesmente trocar um carro por outro, fazer a troca com troco, quando uma das partes faz uma compensação financeira, ou simplesmente vender  o carro e comprar outro, que pode ser um usado, seminovo ou novo (zero quilômetro).

    São diversas variáveis que o proprietário precisa considerar para diminuir o prejuízo financeiro e, quem sabe, até lucrar um pouco com o negócio.

    O que considerar ao vender o carro?

    Diversos fatores devem ser analisados ao vender o carro:

    Descobrir o valor do carro

    Para descobrir o valor do carro, a melhor dica é consultar a tabela FIPE. Atualizada constantemente, ela mostra o valor de mercado médio pelos quais os automóveis são negociados no Brasil. Esta é a primeira informação para iniciar o processo de venda.

    Local de venda do carro

    O segundo fator que precisa ser considerado é onde vender o carro. Se o proprietário optar por concessionárias ou revendas de automóveis, é preciso ter noção de que o valor pago será inferior à tabela FIPE, em torno de 20 a 30%. Se a decisão for colocar o carro atual na troca, para comprar outro, as chances de negociar essas margens aumentam. 

    Por isso, para quem deseja um valor próximo à FIPE, a recomendação é a venda particular, quando ele é vendido diretamente para outra pessoa. 

    Mas essa decisão exige muito mais tempo e dedicação do proprietário, porque ele precisará fazer os anúncios, entrar em contato com possíveis compradores e mostrar o carro aos interessados.

    O que considerar ao comprar o carro?

    Se para vender o carro há vários fatores a considerar, o mesmo ocorre na hora de comprar.

    Novo, seminovo ou usado?

    A primeira decisão que precisa ser tomada e que terá impacto direto sobre as finanças, é entre um carro novo, seminovo ou usado.

    O carro novo, ao sair da concessionária, perde de 10% a 20% do seu valor de mercado, mas pode ser a melhor opção para quem deseja ficar com o carro por um longo período e não abre mão da qualidade e procedência.

    O seminovo é uma das melhores opções para quem está preocupado com a desvalorização e deseja um carro atual.  O usado é a opção para quem deseja pagar pouco, e está disposto a pegar um carro de alta quilometragem. 

    Pesquisa e paciência são fundamentais

    Não importa qual modelo ou tipo de carro foi escolhido, a pesquisa e a paciência são itens fundamentais para negociar o carro e encontrar a melhor opção. Quem tem pressa dificilmente faz bons negócios.

    Condições de pagamento

    É importante ficar atento às condições de pagamento. Pagar à vista, em alguns casos, pode render desconto, e não há preocupação futura com juros. Financiar exige atenção aos juros, e dar um valor de entrada pode ajudar a diminuir o valor final. Finalmente, parcelar todo o valor tende a ser a pior opção, porque os juros podem mudar bastante o valor do automóvel no longo prazo.

    Foi possível saber mais sobre como trocar de carro? Deixe suas dúvidas nos comentários.

    Gabriela Mosmann
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *