tributação CDB

O CDB, ou Certificado de Depósito Bancário, é uma das aplicações mais populares entre os brasileiros. Mas antes de começar a investir é necessário entender como funciona a tributação CDB.

A tributação CDB é feita de maneira bastante específica, porém muito fácil de ser compreendida pelas pessoas de maneira geral.

Desse modo, é preciso destacar que o CDB surgiu como uma modalidade de investimento interessante, pois geralmente (a depender da taxa Selic) supera os rendimentos da poupança.

No entanto, existem outras aplicações onde é possível a isenção de Imposto de Renda, tais como:

  • LCI
  • CRI
  • LCA
  • Debêntures incentivadas

O CDB é um título usado por bancos com o objetivo de captar recursos financeiros para as suas operações de crédito.

Dessa forma, o dinheiro depositado nesse tipo de aplicação é reutilizado pelos bancos na forma de empréstimos e financiamentos.

Portanto, em troca desse fornecimento de capital, a instituição financeira pagará um juro ao detentor do título, do qual será proporcional ao montante depositado.

Saiba como funciona o imposto sobre o CDB

tributação CDB

Saiba como funciona o imposto sobre o CDB

As dúvidas quanto ao imposto CDB são bastante comuns no que tange aos investidores iniciantes.

Antes de tudo é preciso salientar que todos os CDBs, sem exceção, possuem incidência de imposto de renda.

Além disso, a depender do tempo e do montante da aplicação, o IOF também poderá ser cobrado.

No entanto esse IOF somente será cobrado nos casos em que o resgate acontece em menos de 30 dias de aplicação. Essa é uma forma de desestimular as aplicações de curto prazo nessa modalidade de investimento.

Desse modo, entrando agora no tema do IR sobre CDB, é preciso salientar que quanto mais tempo o investidor permanecer na aplicação de CDB menores serão as taxas de imposto cobradas pelo Estado.

Então podemos dizer que as taxas de imposto sobre esse investimento funcionam de maneira regressiva. Essa forma de tributação beneficia muito mais os investidores que ficam mais tempo aplicados nesses títulos.

Momento do resgate

Tributação CDB

Momento do resgate

Como foi dito anteriormente, o imposto sobre o CDB funciona de maneira regressiva e, portanto, varia de acordo com os dias de duração da aplicação.

Por exemplo, se você aplicou R$ 200 mil, e um ano depois resgatou R$ 220 mil, o imposto devido será calculado em cima do lucro, que foi R$ 20 mil.

Como podemos ver na tabela logo abaixo, quanto mais dias o dinheiro se manter aplicado, menor será a taxa cobrada:

CDB

tabela regressiva de IR

Além disso, o investidor no momento da sua declaração anual de Imposto de Renda terá que declarar o rendimento líquido de imposto no item “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.

Então no campo valor você deverá colocar o montante líquido recebido por sua aplicação. É possível declarar quantos CDBs forem necessários, bastando somente clicar em “Novo” a cada aplicação adicional.

Portanto, apesar de ser uma aplicação bastante comum, entender a tributação CDB é muito importante, pois no final das contas, ela contribui para decisão de investimento quando avaliamos a atratividade dos rendimentos líquidos de impostos.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.