Acesso Rápido

    Trava de baixa: o que é essa estratégia no mercado de opções

    Trava de baixa: o que é essa estratégia no mercado de opções

    As operações put spread são estratégias de venda em opções, sendo que a mais conhecida delas é trava de baixa

    A montagem da trava de baixa depende de um cenário favorável no mercado financeiro.

    O que é trava de baixa?

    A trava de baixa é uma das técnicas que estuda o cenário do ativo principal em opções. Esse tipo de investimento é um derivativo financeiro e possui vínculos com um ativo principal ou ativo adjacente. Geralmente, as operações de venda ou compra estarão ligadas ao estudo do cenário do ativo principal.

    Nesse sentido, a trava de baixa é uma estratégia para se beneficiar com a queda dos preços do ativo principal. E consiste na abertura de duas operações simultâneas no mercado de opções.

    Como montar trava de baixa?

    Para montar trava de baixa, existem duas formas:

    1. Na forma de put (Operação de venda)
    2. Na forma de call (Operação de compra)

    A trava de baixa com call é realizada quando cenário é pessimista para o ativo principal. Assim, o ativo derivado seguirá o preço do exercício e se desvalorizará também.

    Para montar trava de baixa, o investidor deve comprar a opção e vendê-la por um strike diferente posteriormente. Existe o risco de vender por um preço extremamente desvalorizado, pois a operação é feita no cenário de bear market, que é pessimista. Por isso, o investidor pode acabar comprando caro e vendendo barato, obtendo prejuízo nesta operação.

    Quer conhecer as técnicas dos grandes investidores? Baixe o e-book e aprenda a investir como Warren Buffet.

    Exemplo de trava de baixa com call

    Em um exemplo com a PETR4, compra-se opções PETRI49 por R$ 0,60 e vende-se também por R$ 0,80. Esse é o caso de uma trava de crédito, pois o investidor deve se beneficiar com a queda. E, para isso acontecer, é preciso que a opção fique abaixo do valor do strike no dia do vencimento. As duas ordens não serão realizadas, nesse caso.

    O risco de uma operação dessas em opções está nos valores dos strikes, que serão descontados da montagem. Através desse conceito, é possível entender que, em um gráfico baixista, o investidor terá ganho com a queda e prejuízo com a alta.

    O lucro com esta operação é limitado, pois recebe-se o montante ligado à montagem da trava. Ou seja, o cenário deve ser favorável o tempo todo, senão haverá prejuízos. Existem riscos com:

    • Volatilidade
    • Passagem do tempo da operação
    • Diferença de strike

    O risco máximo existente está na diferença entre a série e o valor a receber com a montagem. Em uma trava de baixa com put, será feita em opções de venda. É a mesma técnica que a estratégia com call, porém, ao contrário.

    No exemplo de PETR4, a trava com call seria montada de forma a realizar a compra de uma opção cara, a ser vendida barato, para que as opções PETRI49 lucrassem com o cenário baixista no dia do exercício.

    Exemplo  de trava com put

    Com o mesmo exemplo, mas agora com put, se os preços estivessem abaixo de R$ 18,25, um put seria feito para abaixo de R$ 18,25. Posteriormente,  venderiam-se as opções de PETR4 quando os preços estivessem acima desse valor como, por exemplo, R$ 18,50. O ganho com essa montagem seria de R$ 0,25 por opção. Porém, o lucro da operação será descontado, pois o investidor paga pela montagem da trava de baixa com opções.

    Por fim, as configurações básicas para montar esse tipo de estratégia serão abrir duas operações simultâneas, uma de put e uma de call ou vice-versa. A intenção é lucrar com a queda do ativo adjacente, lembrando que a sucesso da operação é entrelaçado com volatilidade e a diferença de strike.

    Conseguiu entender o que é uma trava de baixa? Escreva suas dúvidas nos comentários abaixo.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    9 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Marcelo 16 de abril de 2020

      Olá! essa operação de crédito o risco máximo seria a diferença no momento de exercício?
      Como funciona na prática? Eu recebo pela operação o valor cheio no momento da montagem e esse valor pode ir diminuindo até o exercício, é isso? sendo assim o meu prejuízo maximo sera zero ou as taxas? confere?
      Obrigado

      Responder
      • Ricardo Marcondes 8 de junho de 2020

        Isso mesmo. Voce recebe o spread no momento da montagem e pode ir desidratando com o tempo. O prejuízo máximo da operação é a diferença dos strikes – spread no momento da montagem.

        Responder
    • Roberto 17 de abril de 2020

      Boa noite, em uma trava de baixa com put em bova11, digamos de a trava seja realizada na faixa dos 55 mil pontos, bem fora do dinheiro e o mercado caia, dos 79 para 60 mil pontos, qual seria oeu ganho? Oque representaria o ganho? O ganho seria apenas após desmontar a trava e vender as opções?

      Responder
      • Ricardo Marcondes 8 de junho de 2020

        Para se ter ganho na Trava de Baixa é necessário que o valor da ação esteja abaixo de sua trava. Neste caso que voce citou, teria prejuízo máximo, que no caso seria a diferença dos strikes das opções menos o spread na montagem da operação.

        Responder
    • Marcos 22 de julho de 2020

      Ola. Gostaria de tirar um dúvida. Fiz uma trava de baixa em call com 1,00 de diferença entre os strikes e recebi 10 centavos de prêmio. Logo meu prejuízo máximo não deveria ser de 90 centavos? (na clear, que realiza os exercícios automaticamente) Acabou acontecendo o seguinte: não executou a call que comprei (apesar de ação ter subido acima do strike em diversos momentos) e ação subiu mais, totalizando uns 3,00 reais de prejuízo por opção. O sistema apenas realizou a compra a vista no fechamento do mercado. Estou em dúvida se isso foi um erro ou pode acontecer.

      Responder
    • Adauto 10 de outubro de 2020

      Quando é melhor escolher uma trava de baixa com put ao inves da mesma trava só que com call?

      Responder
      • Suno Research 13 de outubro de 2020

        Olá, Adauto! Tudo bem?
        Essa é uma pergunta muito ampla, já que tudo vai depender da estratégia adotada e das perspectivas da cotação.
        Atenciosamente, Equipe Suno.

        Responder
    • ANTONIO CARLOS 27 de outubro de 2020

      PARA APRENDER COMO SE FAZ , TENTEI MONTAR A ESTRATÉGIA DE PUT – VENDA PARA 16/11, COM 100 AÇÕES QUE JA ESTOU COMPRADO A r$ 21,63 – COLOQUEI PREÇO A r$ 22,00, MAS A MENSAGEM É QUE PRECISO DE GARANTIA.
      ACHO QUE NÃO COMPREENDI DIREITO AINDA.

      Responder
      • Suno Research 28 de outubro de 2020

        Olá, Antonio Carlos! Tudo bem?
        Como você está vendendo uma PUT, está adotando uma posição de Lançador. O Lançador, em caso de já possuir as ações, deve depositar os títulos relativos a Opção. Caso ele não possua as ações, o Lançador deve depositar uma margem em dinheiro ou os mesmos ativos aceitos no mercado a termo, conforme calculo efetuado pela CBLC. Você deve entrar em contato com a sua corretora para fazer obter tal garantia.
        Atenciosamente, Equipe Suno.

        Responder