trading

Muito citado no mercado financeiro, trading é um termo recorrente quando falamos de investimentos.

Traduzido para o português, trading significa negociação. Mas, na prática, esta expressão ganha outro corpo, bem mais amplo e diversificado.

Trading é, basicamente, analisar o mercado financeiro em busca de ações, opções de ações, commodities ou moedas nas quais investir com o objetivo de obter lucros financeiros adivinhando se esse papel vai valorizar ou desvalorizar com base nos movimentos do mercado.

Assim, o objetivo de quem faz essa prática, seja o day trade ou o swing trade, é especular sobre a movimentação do mercado e da ação específica e, dessa forma, obter ganhos.

Logo, o caráter desse tipo de investimento é meramente especulativo e, por consequência, arriscado. Principalmente para quem é iniciante nos investimentos em renda variável.

Quem não é profissional do mundo de investimentos e deseja obter rendimentos com maior nível de segurança e também liquidez, a melhor estratégia pode ser investir em valorização de longo prazo. Para isso, a Suno pode ajudar com relatórios focados na valorização dos ativos.

Trabalhar com trading

trading3

Se o trading é a compra e venda de ações ou ativos com foco no ganho de capital, o trader é um investidor que usa a volatilidade do mercado para tentar ganhar dinheiro com operações de curto prazo.

Normalmente, essa é a figura de um investidor profissional, que precisa estar constantemente acompanhando as movimentações do mercado financeiro e entender o que se passa ali para não perder dinheiro.

Trading automatizado

Sem precisar dormir, comer e tendo uma capacidade de processamento melhor do que a humana, os sistemas automatizados conseguem demonstrar quais os melhores caminhos para o trading.

Com a automatização de investimentos, a execução das ações passa a ser automática, respeitando os limites e predefinições inseridas nele.

Isso não quer dizer que o toque humano não seja necessário, mas sim o um sistema trabalhará a partir das coordenadas dadas a ele após uma análise prévia feita pelo trade.

Esse tipo de tecnologia, por outro lado, é mais acessível para grandes investidores ou fundos.

Logo, investidores individuais e com pouco capital saem mais uma vez em desvantagem.

Definindo a estratégia de day trade, o robô focará no lucro alvo programado, porém observando movimentações negativas no mercado, agindo sempre dentro do limite de prejuízo predeterminado por operação.

Desta forma, ele saberá quando comprar ações ou aplicações, vendê-las e em quais delas focar.

Hoje, este tipo de investimento já é tendência, uma vez que a grande parte das corretoras de valores está integrada com plataformas de investimento automatizado na Bolsa de Valores.

Insider trading

trading2

Um dos pontos mais polêmicos quando falamos de trading é a questão da informação privilegiada.

Se as ações ou papéis são comprados e vendidos seguindo um fluxo de mercado, se alguém vende todas as ações de uma determinada empresa, para as quais não havia nenhuma prevista um dia antes de uma queda histórica, isto é suspeito.

Afinal, onde ele obteve esta informação?

Este uso indevido de informações privilegiadas, conhecido como Insider trading, tem sido combatido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), por afetar diretamente a confiança dos investidores e a integridade do mercado de capitais.

O órgão promoveu uma campanha educativa para coibir este, que é considerado um crime financeiro. Quem quiser denunciar casos de insider trading pode fazê-lo nos canais disponibilizados pela Superintendência de Proteção e Orientação aos Investidores (SOI).

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.