tesouro selic

Você já ouviu falar no Tesouro Selic?

O Tesouro Selic, também chamado de LFT (Letra Financeira do Tesouro), é um investimento da Renda Fixa remunerado pela Taxa Selic. Essa aplicação rende mais do que a Poupança e também é mais segura, pois é garantida pelo Tesouro Nacional.

Muitos investidores buscam opções mais rentáveis, conservadoras, mas que também tenham liquidez e fácil acesso como a Poupança, e nesse sentido,  a LFT pode ser uma boa alternativa.

 

O que é o Tesouro Selic (LFT)?

o que e

A LFT é um título público federal com remuneração pós-fixada pela Taxa Selic.

Mas para você entender como funciona esse investimento, vamos fazer uma revisão, começando pelos títulos públicos.

Quando você compra um título público, você está simplesmente concedendo empréstimos ao governo federal.

Aqui no Brasil, quem emite essas dívidas é a Secretaria do Tesouro Nacional, que é vinculada ao Ministério da Fazenda.

Portanto, ao emprestar dinheiro você espera receber de volta o valor investido (principal) mais os juros combinados.

E dependendo da forma como esses juros são calculados, podem existir vários tipos diferentes de títulos.

De fato, o investidor consegue comprar pelo Tesouro Direto três tipos diferentes de títulos:

  1. LFT
  2. Tesouro Prefixado (LTN)
  3. Tesouro IPCA+ (NTN-B)

A LFT é remunerada pela Taxa Selic enquanto a LTN recebe um juro fixo (7%,10%, etc.).

Já o Tesouro IPCA+ recebe um rendimento sempre acima da inflação (Inflação + 2%, por exemplo).

Mas além da fórmula de remuneração, alguns títulos podem pagar os juros semestralmente, e não somente no vencimento (quando o capital investido é devolvido).

Ou seja, o Tesouro Prefixado e o Tesouro IPCA+ ainda podem ser divididos em:

  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais
  • Tesouro IPCA+

Para a LFT, os juros são pagos somente no vencimento ou no resgate antecipado (que veremos adiante).

Por fim, podem existir várias datas diferentes de vencimento, que é quando o capital que você investiu é devolvido com os juros combinados.

Por exemplo, os vencimentos podem ser curtos, como 2024, ou muito longos, como 2050.

No dia 26/04/2018, as opções disponíveis eram as seguintes:
titulos disponiveis para compra

Porque investir na LFTporque investir na LFT

Investir no Tesouro Selic é uma ótima forma de obter uma rentabilidade superior a da Poupança e com uma segurança maior, apesar da menor liquidez.

Ou seja, a LFT pode servir como uma excelente reserva de emergência.

Você também pode usar a LFT como uma reserva para aproveitar oportunidades em outros ativos, como Ações e Fundos Imobiliários.

De fato, acreditamos que a época de viver apenas com Renda Fixa já passou.

E quem quiser garantir o futuro, terá que correr mais riscos na Renda Variável. Especialmente os mais jovens.

Veja o que o fundador da Suno, Tiago Reis, disse a respeito disso no vídeo abaixo:
Tiago:

[Eu acho que faz sentido,bastante sentido, sobretudo para os muito jovens, aqueles que estão na faixa dos 20 anos.

Por quê?

Porque não existem tantas oportunidades no mercado. As oportunidades são escassas.

E quem é mais jovem pode correr mais riscos porque tem mais tempo ao longo da sua carreira como investidor.

Aquele que está mais próximo da sua aposentadoria, é natural que busque diversificar o seu patrimônio, para ter várias fontes de renda simultaneamente.

Porém, o mais jovem, eu acho salutar ter uma concentração maior pra se apropriar justamente dos maiores ganhos.

Ainda que, pra fazer isso, você incorra em maiores riscos.

Mas como você é jovem, como eu disse, você tem o tempo a seu favor.

Qualquer erro de percurso, você terá um tempo maior para corrigir. Então eu acho que é inteligente para o investidor mais jovem ter uma concentração maior.

E ao longo da sua vida, você vai construindo um portfólio mais diversificado]

Mas começar na Renda Variável exige um certo preparo.

Muitos potenciais investidores, enganados por promessas de ganhos astronômicos no curto prazo, acabam especulando e perdem tudo.

Ouça alguns conselhos que o Tiago dá para os iniciantes:

 

Qual a rentabilidade do Tesouro Selic?rentabilidade

Como explicamos anteriormente, a remuneração da LFT segue a Taxa Selic.

Mas para quem não tem tanta familiaridade com a Selic, vamos revisar o assunto.

A Taxa Selic é a taxa básica de juros da economia.

De fato, essa taxa é referência para a política econômica nacional, para controle da inflação e para diversos investimentos da Renda Fixa, inclusive para a própria Caderneta de Poupança.

E como essa taxa costuma variar, então não dá para saber de antemão qual será o retorno desse investidor.

Por exemplo, no segundo trimestre de 2018, a Selic estava em 6,5% ao ano.

Mas alguns anos anos essa taxa estava em mais de 14%.

Veja o gráfico abaixo com o histórico da Selic desde 2000:

taxa selic

Taxa Selic (% ao ano)

Na prática, a Selic varia todo dia útil e, portanto, a LFT também é remunerada diariamente.

Por isso, dizemos que é uma taxa pós-fixada, ou seja, fixada após o investimento, e não antes.

Contudo, vale destacar que essa taxa é sempre positiva.

Portanto, a rentabilidade do Tesouro Selic, em teoria, é sempre positiva.

Ou seja, o valor do seu investimento costuma aumentar dia após dia.

Para falar a verdade, existem algumas exceções raras em que você pode perder dinheiro.

Mas iremos falar disso mais adiante.

Valor mínimo para investirminimo para investir

Dissemos antes que os títulos públicos são empréstimos para o governo.

Só que existem alguns detalhes.

Não é como se você simplesmente fizesse uma transferência de dinheiro para o Tesouro Nacional.

Na verdade, o que acontece é que você compra títulos que representam uma dívida. E a cada dia, o preço de compra desses títulos varia.

Ou seja, você investe em “pacotes”.

O menor valor (“pacote”) que você pode investir em qualquer título público é o equivalente a 1% (0,01) do preço de um (1,0) título, respeitado o mínimo de R$ 30,00.

Chamamos o preço de 1,0 (um) título de preço unitário, ou PU.

Por exemplo, no dia 26/04/2018, o PU da LTN 2023 era de R$ 662,04.

1% daria R$ 6,62, mas como o mínimo é de R$30, então você teria que comprar ao menos 5% de um título (R$ 33,10).

Já a LFT 2021 estava custando R$ 9.469,83 e, portanto, o investimento mínimo é de 1% (R$94,69).

Custos operacionais e tributárioscustos operacionais e tributarios

Investir no Tesouro Selic tem custos, tanto operacionais como tributários.

Portanto, a sua rentabilidade líquida é um pouco menor do que a Taxa Selic.

Existem duas taxas, que são:

  • Taxa do Agente de Custódia
  • Taxa da B³

Além disso, há a cobrança de dois tributos:

  • Imposto de Renda (IR)
  • Imposto sobre operações financeiras (IOF)

Então vamos falar um pouco a respeito desses custos.

Taxa do agente de custódiataxa agente de custodia

A taxa do agente de custódia é uma taxa que algumas corretoras cobram para que você possa investir no Tesouro Selic via Tesouro Direto.

Mas na prática, as melhores corretoras já isentam o investidor.

Abaixo mostramos a lista de corretoras gratuitas em 26/04/2018:

  • Ativa Investimentos
  • Banco BTG Pactual
  • Banco Modal
  • BGC Liquidez
  • Brasil Plural
  • Clear Corretora
  • CM Capital Markets
  • Easynvest
  • Geração Futuro
  • Gradual
  • Guide Investimentos
  • H.COMMCOR
  • Intermedium
  • J.Safra
  • Magliano
  • Mirae Asset Wealth Management
  • Modal
  • Rico Investimentos
  • Socopa SC Paulista
  • Spinelli
  • Tullett Prebon
  • XP Investimentos

Assim, basta você escolher uma dessas corretora acima para ficar livre dessa taxa.

Esta lista é sempre atualizada neste site.

Taxa da B³taxa da b³

A taxa que você paga para a B³, que é a instituição que guarda os seus títulos, é de 0,30% ao ano sobre o valor dos seus títulos.

Essa taxa é provisionada diariamente. Ou seja, a cada dia que passa o valor acumulado aumenta.

Além disso, a provisão diária também irá aumentar dia após dia, pois o valor do título também aumenta.

Percebam que essa taxa incide sobre o valor do investimento, e não somente sobre os lucros.

Por isso, quanto menor for a taxa Selic, mais impacto a taxa da B³ causará na rentabilidade final do investidor.

Por exemplo, com a Selic em 6,5%, essa taxa “morde” 0,3/6,5 = 4,62% da rentabilidade.

Ou seja, é como se você recebesse 95,3% da Selic.

O impacto no retorno do Tesouro Selic é bastante parecido com as taxas de administração cobradas em fundos de renda fixa e em outros tipos de fundos de investimento.

Infelizmente, não há como ficar isento dessa taxa. Todos que aplicam pelo Tesouro Direto devem pagar.

Se o saldo acumulado da taxa da B³ for inferior a R$ 10,00, então você só será cobrado quando resgatar o título (antecipadamente ou não).

Esse limite de R$ 10,00 leva em conta as taxas de todos os seus títulos em carteira.

Mas se o saldo for maior do que R$ 10,00 e você não resgatar os títulos, você precisará depositar na sua conta da corretora o valor da taxa.

A cobrança ocorre no 1º dia útil de janeiro ou julho, o que ocorrer primeiro.

Geralmente você recebe um aviso por e-mail do Tesouro Direto informando o valor que deve pagar.

Imposto de Renda e IOFimposto de renda e iof

O IOF é cobrado somente se você resgatar o seu investimento no Tesouro Selic em menos de 30 dias a partir da data da aplicação.

Esse tributo incide somente sobre o rendimento bruto (antes das taxas da B³ e Agente de Custódia) e a alíquota regressiva segue a seguinte tabela:

Tabela IOF

Tabela IOF

Ou seja, a partir do trigésimo dia você está livre do IOF.

Mas não do IR.

A cobrança do Imposto de Renda incide apenas sobre o lucro bruto, e segue a seguinte tabela regressiva:

tabela ir

Tabela IR

E se houver a cobrança de IOF, o IR só incidirá sobre o lucro bruto após o desconto do IOF.

E você só paga o IR quando resgatar o seu investimento. Ele nunca é recolhido antes.

Por fim, tanto o IR quanto IOF são retidos na fonte no resgate. Você não precisa se preocupar em pagá-los por conta própria.

Exemplo real

IR tesouro

IR tesouro

Acima mostramos um extrato real na data de 26/04/2018, de um investidor que investiu R$ 1.116,97 no Tesouro Selic 2023.

Sempre que você adquirir títulos públicos via Tesouro Direto, você conseguirá acessar o seu extrato no portal oficial.

Como podemos ver, nesta data, o valor bruto do investimento era de R$ 1.134,60.

Logo, o lucro bruto foi de R$ 1.134,60-R$1.116,97= R$ 17,63.

Além disso, se passaram 104 dias corridos da data do investimento e portanto, a alíquota de IR é de 22,5%.

Portanto, o IR é de 22,5% X R$ 17,63 = R$ 3,96.

Esse valor também aparece discriminado no extrato, conforme você pode ver na tabela acima.

Mas ele não foi cobrado porque o investimento não foi resgatado nesta data.

Veja também a coluna com o valor da taxa da B³. Como o saldo é inferior a R$ 10,00, esse valor também não foi recolhido ainda.

 

Como investir e resgatar o dinheirocomo investir e resgatar

Para você conseguir investir no Tesouro Selic você deve seguir alguns passos.

O primeiro deles é abrir uma conta em uma corretora de valores. Sem fazer isso, não é possível adquirir os títulos via o sistema do Tesouro Direto.

Mostramos antes várias opções de corretoras.

Com a conta aberta, você precisa agora escolher o valor que deseja investir.

O sistema onde você compra os títulos é no próprio site do Tesouro Direto ou na sua corretora.

Mas vale lembrar que algumas corretoras não permitem que você compre e resgate títulos através do site do Tesouro.

Nesses casos, a própria instituição já fornece uma plataforma para você negociar os títulos.

Porém, fique atento com os prazos de liquidação.

Se você comprar um título entre 0h00 e 18h00 em dias úteis, você precisa ter o dinheiro na conta da corretora neste mesmo dia útil (D+0).

No dia útil seguinte (D+1) você já pode acessar o seu extrato de títulos no tesouro direto.

E caso você resgate o seu título nestes horários, o dinheiro só estará disponível também em D+1.

Por outro lado, se você comprar entre 0h00 e 18h00 em dias úteis, feriados ou finais de semanas, os prazos são diferentes.

Para compras, você precisa ter o dinheiro na corretora em D+1. E para as vendas, o valor do resgate só estará disponível em D+2.

Compras em datas diferentes

compras datas diferentes

Compras do mesmo título em datas diferentes

Uma dúvida que muitas pessoas têm é sobre investimentos em datas diferentes no mesmo título.

Veja a tabela acima.

Este investidor realizou compras do Tesouro Selic 2023 em três datas diferentes:

  • 12/01/2018
  • 21/03/2018
  • 11/04/2018

Veja que as condições podem mudar. A primeira compra foi ao par, mas a segunda e terceira foram com deságios.

Um detalhe importante é a questão das diferentes alíquotas de IR no resgate, pois a cada novo investimento, a contagem de dias é zerada.

Mas não se preocupe.

Sempre que você for resgatar os seus títulos, o próprio sistema do Tesouro Direto já organiza automaticamente os resgates para você pagar a menor quantidade possível de imposto de renda.

Valor Nominal Atualizadovalor nominal atualizado

Aqui começam alguns detalhes mais técnicos, mas que consideramos importantes para você entender como é formado o preço dos títulos.

E o primeiro deles é a respeito do Valor Nominal Atualizado (VNA).

Esse é o componente mais importante do preço do Tesouro Selic.

O VNA para a LFT funciona assim:

Em 01/07/2000 se estipulou que o VNA seria de R$ 1000.

A partir dessa data, o VNA foi sendo corrigido todo dia útil pela Taxa Selic diária.

No vencimento, o investidor sempre recebe o VNA.

Ágio e Deságioagio e desagio

Já o segundo componente que forma o preço da LFT é o ágio ou deságio.

O ágio é quando você compra a LFT um pouco acima do VNA. Ou seja, você irá receber um pouco a menos do que a taxa Selic.

Já o deságio é o caso oposto. Um título sendo vendido com deságio fornece uma rentabilidade maior do que a Selic.

Ou seja, o ágio é sempre uma taxa negativa e o deságio é sempre uma taxa positiva.

Quando não há ágio ou deságio dizemos que o título está sendo vendido ao par. Neste caso, a rentabilidade do investidor será igual à taxa Selic.

Na prática, é o Tesouro Nacional quem decide qual será o ágio ou deságio, pois irá depender da demanda da LFT no mercado secundário, que é onde os títulos são negociados entre investidores.

Uma demanda muito grande tende a gerar um ágio e uma demanda fraca costuma criar um deságio.

Mas você não precisa se preocupar muito com o ágio ou deságio. De fato, são valores muito pequenos, menores do que 0,1%.

Deságio da LFT 2023

Deságio LFT 2023

Deságio LFT 2023

Pois então. Agora que você já sabe o que é o ágio e deságio, já pode entender como um título é precificado.

Ou seja:

PREÇO DE COMPRA = VNA + ÁGIO/-DESÁGIO

E de forma equivalente:

TAXA DE RETORNO = SELIC – ÁGIO/+DESÁGIO

Na realidade a conta não é tão simples assim, mas a ideia principal não muda.

O que tem que ficar claro é que o preço de compra é basicamente o VNA na data de compra. E a rentabilidade é praticamente a taxa Selic.

O ágio ou deságio afeta muito pouco tanto o preço de compra quanto a rentabilidade.

Vamos ver um exemplo real:

No dia 26/04/2018, o Tesouro Selic 2023 estava sendo negociado por R$ 9.473,28. O deságio oferecido era de 0,01%.

Já o fator acumulado da Selic entre 01/07/2000 e 26/04/2018 foi de 9,475.

Portanto, o VNA em 26/04/2018 é igual a R$ 1000 * 9,475499 = R$9.475,99.

Percebam que o VNA é superior ao preço do título, pois está sendo negociado com deságio.

Contudo, a diferença é de menos de 0,028%, ou seja, insignificante.

Spread de compra e venda

spread compra e venda

spread de compra e venda

Até aqui falamos apenas do preço de compra, que é quanto custa para comprar os seus títulos públicos.

Contudo, existe a opção de vender seus títulos de volta para o governo antes do vencimento.

Nesse caso, é oferecido ao investidor um preço de venda.

Logicamente, o preço de venda será sempre menor do que o de compra, pois o Tesouro Nacional aplica um desconto no preço de compra.
A única ocasião em que ambos são iguais é no próprio vencimento do título.

Chamamos essa diferença de spread.

Veja no gráfico acima o spread (como porcentagem do preço de compra) para a LFT com vencimento em 07/03/2017.

Perceba que o spread vai diminuindo até chegar a zero no vencimento.

O preço de venda também costuma diferir do VNA e portanto, existe ágio ou deságio na venda. Mas como o preço de venda é menor do que o de compra, o ágio/deságio da venda é menor (maior) do que o ágio/deságio da compra.

Posso perder dinheiro com o Tesouro Selic?

preço de compra

Preço de compra LFT 2017

No gráfico acima mostramos a curva de preço do Tesouro Selic 2017.

Quem olha esse gráfico acredita que não é possível perder dinheiro investindo com a LFT.

Mas isso não é sempre verdade.

Existe sim a chance de perder dinheiro se você resgatar o seu título no curtíssimo prazo, bem antes do vencimento.

É como se déssemos um zoom bem grande no gráfico acima.

E não estou falando do risco de calote do governo federal. Isso é algo extremamente improvável de acontecer com a dívida nacional.

O Tesouro Selic, assim como qualquer título público, possui garantia ilimitada do Tesouro Nacional. Esse é o menor risco de qualquer investimento nacional.

Na prática, se você resgata seu título em menos de duas semanas (pode variar um pouco) depois da aplicação, você pode perder dinheiro por causa de cinco fatores.

Cinco fatores

  1. IR
  2. IOF
  3. Taxa da B³
  4. Spread de compra e venda
  5. Possível variação do Ágio/Deságio

É o seguinte:

Vimos que o preço de venda é sempre menor do que o de compra.

Ou seja, demoram alguns dias até que o preço de venda ultrapasse o seu preço de compra.

Além disso, a taxa da B³ é acumulada mesmo no prejuízo.

E ainda por cima, quando o lucro bruto for positivo, serão retidos também IR e IOF.

Levando em conta tudo isso, o seu investimento fica no prejuízo alguns dias.

Prejuízo com LFT 2017

Prejuízo com LFT

Prejuízo com LFT

Nesta simulação, o investidor aplicou R$ 5.452,87 no Tesouro Selic 2017 em 02/01/2013.

Até o dia 10/01, esse investidor estava com prejuízo bruto, pois o preço de venda era menor do que o valor investido.

Mas no dia 11 esse investidor também estava com prejuízo líquido, por causa da taxa da B³, IR e IOF.

Ou seja, somente a partir do dia 14, quase duas semanas depois da aplicação, o investidor pôde resgatar seu investimento com lucro.

É importante entender essa tabela, pois muitos investidores iniciantes se assustam ao ver o prejuízo mostrado.

A boa notícia é que, quanto mais próximo do vencimento, menor fica esse prazo para ficar no lucro.

O motivo disso é que os spreads diminuem à medida que o vencimento se aproxima, como vimos anteriormente.

Por fim, caso ocorra um aumento no deságio (diminuição do ágio) no curto prazo, o preço de venda do título irá cair, o que pode ocasionar um prejuízo líquido se o título for resgatado.

Mas mudanças no Ágio/Deságio não são comuns. E teriam que ocorrer em um intervalo de tempo muito curto para causar um prejuízo ao investidor.

Enfim, é só uma possibilidade teórica muito remota.

A lição que fica é a seguinte:

Se você espera resgatar a LFT em um prazo de menos de duas semanas, é melhor buscar outra aplicação para não ficar no prejuízo.

LFT e Inflação

Juro real da LFT

Juro real da LFT

Uma outra dúvida comum de quem pretende investir no Tesouro Selic é saber se esse título irá protegê-lo da inflação.

A resposta é sim. Praticamente todo tempo.

Veja o gráfico acima.

Este é o juro real da LFT, ou seja, a rentabilidade do título descontada a inflação (IPCA).

Nessa comparação escolhemos a alíquota máxima de IR de 22,5% e também aplicamos taxa da B³ de 0,30% ao ano.

Ou seja, fomos o mais conservadores possível.

O período de comparação foi de 2002 até hoje. Os resultados foram os seguintes:

Em 79% dos meses a LFT superou a inflação.

Mas na prática o resultado deve ter sido ainda melhor por três motivos.

O primeiro deles é que escolhemos a alíquota máxima enquanto vários investidores já podiam estar nas faixas de menor tributação.

Se trocarmos a alíquota para 15%, o resultado aumenta para 83%.

Além disso, à medida que o tempo passa, o IR afeta cada vez menos a rentabilidade, pois é recolhido somente no final do investimento.

E por fim, quanto maior o tempo de permanência com o investimento, maiores serão as chances dos meses em que a LFT rendeu mais do que a inflação compensarem os meses em que o título teve retorno inferior.

Apesar da LFT em média, ter conseguido superar a inflação, veja que o padrão do juro real é bastante aleatório e vem caindo nos últimos anos.

Por isso, aqueles investidores que quiserem “travar” uma rentabilidade fixa acima da inflação (prêmio) por um longo período de tempo, devem comprar o Tesouro IPCA+.

Por outro lado, esse título costuma ser muito volátil, e assim, o investidor que quiser resgatar esse título antes do vencimento poderá perder dinheiro.

LFT vs Poupança

A outra comparação que não podia faltar é entre a Poupança e a LFT.
Afinal, os dois investimentos são muito parecidos.

De fato, muitas pessoas que investem na LFT eram antigas adeptas da Caderneta de Poupança.

E para fazer essa comparação, precisamos levar em conta três características.

Fatores para comparação

  1. Segurança
  2. Liquidez
  3. Rentabilidade

Segurança

O Tesouro Selic é mais seguro do que a Poupança, pois a garantia é ilimitada e dada pelo Tesouro Nacional.

Já a Poupança é garantida pelo FGC em até R$ 250.000 por CPF por banco, com várias ressalvas.

De fato, a maioria dos depósitos está concentrada nos grandes bancos nacionais, que são instituições muito sólidas.

E é inconstitucional ocorrer o confisco da Poupança novamente.

Resumindo, tanto a Poupança quanto a LFT são muito seguras, mas a LFT leva uma pequena vantagem.

Vencedor: LFT

Liquidez

A Poupança definitivamente é um investimento com maior liquidez. Você pode resgatar a qualquer hora do dia, sete dias por semana.

Dependendo de quando você resgata o Tesouro Selic, o dinheiro cairá na sua conta da corretora em um ou dois dias úteis depois da solicitação.

E você ainda precisará fazer a transferência para o seu banco, que pode demorar algumas horas.

Vencedor: Poupança

Rentabilidade

LFT vs Poupança

LFT vs Poupança

No gráfico acima mostramos a diferença de rentabilidade entre o Tesouro Selic e a Poupança.

Consideramos uma alíquota máxima de IR de 22,5% e também, a taxa da B³ de 0,3% ao ano.

LFT ganhou com muita folga.

Em quase 92% dos meses a LFT rendeu mais do que a Poupança.

Na verdade, o resultado é ainda melhor do que os 92% para a LFT, pois muitos investidores são tributados com alíquotas menores do que 22,5%.

Além disso, quanto maior o prazo do investimento, menor o efeito da tributação na rentabilidade.

E por fim, quanto maior o tempo de permanência com o investimento, maiores serão as chances dos meses em que a LFT rendeu mais do que a Poupança compensarem os meses em que o título teve retorno inferior.

Se considerássemos a alíquota de 15%, o resultado passaria para quase 98%.

E é claro que, quanto maior o tempo de permanência com o investimento, maiores serão as chances dos meses em que o LFT rendeu mais do que a inflação compensar os meses em que teve retorno inferior.

Mas veja que interessante. Recentemente, a Poupança vem ganhando da LFT em alguns meses.

Isso costuma ocorrer quando a taxa Selic é baixa. Ou seja, quanto menor a taxa Selic, mais se aproximam a rentabilidades da LFT e Poupança.

O grande motivo disso é o impacto maior da taxa da B³ na rentabilidade do investidor, como vimos anteriormente.

Vencedor: LFT

Declaração de Imposto de Rendadeclaração de IR

Caso você tenha a obrigatoriedade de fazer a sua declaração do IR, então terá que declarar também seus títulos.

É simples.

Se você resgatou algum título, você precisa incluir os juros recebidos na aba de “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.

Já os títulos não resgatados precisam ser declarados na ficha de “Bens e Direitos” pelo custo, e não o valor de mercado.

Sempre que você adquire mais títulos iguais, esse custo aumenta.

E caso realize vendas, o custo diminui.

Os campos exatos podem variar de ano para ano.

Conclusão sobre o Tesouro Selicconclusão Tesouro Selic

A LFT é um investimento extremamente seguro e uma alternativa mais rentável do que a poupança.

É também um passo inicial para o investidor que deu o primeiro passo de tirar o dinheiro do banco.

Apesar disso, entendemos que o Tesouro Selic serve mais como uma reserva financeira do que um ativo para enriquecer no longo prazo. Para essa finalidade, Ações e FIIs são opções melhores.

Compartilhe a sua opinião
Rodrigo Wainberg

Rodrigo Wainberg

Profissional aprovado no Level III da certificação CFA, investidor em ações há 6 anos, possui registro de Analista e Consultor de Valores Mobiliários, e é Bacharel em Física pela UFRGS.