É muito comum atualmente, as pessoas ligarem a televisão ou acessarem a internet e se depararem com a notícia sobre a subida ou descida da taxa Selic.

Apesar de ser um termo econômico muito pouco compreendido por pessoas em geral a Taxa Selic, tem uma influência direta, através das taxas de juros, sobre a vida das pessoas que estão sobre sua atuação.

Neste guia tratemos um pouco mais sobre esse conceito muito importante, bem como as consequências que a variação da Selic pode fazer nas suas decisões tanto de poupança quanto de compra das pessoas no geral.

Conceitos

Na sua concepção, a taxa Selic é a taxa de juros da economia do Brasil, utilizada pelo mercado interbancário para financiamento de operações com duração diária, sendo lastreadas em títulos públicos federais.

Vale ressaltar, aqui, que a sigla Selic significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Dessa forma, a taxa Selic nada mais é do que um sistema computadorizado, controlado pelo Banco Central, do qual ele controla a emissão, compra e venda de seus títulos públicos.

Essa taxa é calculada pela taxa média ponderada dos juros praticados por instituições financeiras.

Em tese, no mercado em geral, a taxa Selic é a balizadora da taxa de juros de um país, no qual a taxa de juros praticada pelos bancos e credores em geral devem ser iguais ou maiores às pagas para os detentores dos títulos públicos federais lastreados na Selic.

Exemplo prático

Para entender um pouco mais sobre a influência da taxa de juros na vida das pessoas, vejamos a seguinte ilustração:

Digamos que Pedro tem interesse em comprar um notebook no valor de R$ 2000,00, mas não possui dinheiro suficiente para pagar o produto à vista, então ele resolve pagar parcelado a uma taxa de juros de 10% ao mês.

Dito isso, depois de um mês, Pedro volta ao banco do qual tomou o dinheiro emprestado e o devolve um total de R$ 2200,00, desses quais R$ 2000,00 provenientes do montante mais R$ 200,00 de juros.

Analisando mais profundamente essa situação, para o Pedro, foi mais importante para ele ter R$ 2000,00 na mão naquele momento para realizar a compra do produto do que R$ 2200,00 no mês seguinte.

Esses R$200,00 extras que Pedro pagou foi o preço por ter o dinheiro naquele momento, por isso que se costuma ouvir que a taxa de juros é o preço do dinheiro no tempo.

Da mesma forma que Pedro, o governo também pega dinheiro emprestado para manter sua “máquina” em funcionamento.

Então ele lança seus títulos públicos ao mercado como meio de amealhar recursos.

Como os juros em geral estão diretamente ligados ao risco de o mutuário não pagar o montante emprestado, convencionou-se que o risco do estado em não pagar sua dívida lastreada na taxa Selic é o menor possível dentro de uma economia de mercado.

Logo, pode-se concluir que a taxa Selic é a balizadora dos juros praticados em todo território nacional, e as demais taxas praticadas, no geral, são iguais ou maiores que os juros pagos pelo governo.

Dessa forma, fica nítido perceber que uma subida da taxa de juros pode afetar as decisões de compras das pessoas, adiando ou fazendo-as preferir realizar pagamentos à vista.

De modo contrário, acontece quando a sua taxa cai, fazendo com que as pessoas se sintam estimuladas a comprar mais, pois o preço do dinheiro no futuro se encontra reduzido.

Como é definida a taxa Selic?

Devido a sua relevância, decidiu-se formalizar a decisão de mudanças na taxa Selic da forma mais transparente possível, sem realizada através de reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom).

O Copom é o responsável por definir a taxa de juros básica, bem como a quantidade de dinheiro existente na economia brasileira.

As reuniões do Copom para a definição da taxa Selic são realizadas 8 vezes ao ano.

Investimentos em renda fixa

A taxa Selic tem influencia direta no rendimento das aplicações financeiras em renda fixa.

De impacto imediato a variação da Selic causa uma variação nos títulos públicos diretamente lastreados a ele: o LTF, ou também conhecido como Tesouro Selic.

Variações na poupança também acontecem em dois casos diferentes:

– No primeiro caso a ser considerado, se a taxa SELIC está em patamar maior que 8,5% ao ano, a poupança terá rendimento de 0,5% ao mês + a TR (taxa referencial – usada para influenciar o rendimento da caderneta de poupança e os juros finais de alguns contratos de empréstimos).

– No segundo caso, se ela for menor ou igual a 8,5%, a poupança terá um rendimento equivalente a 70% da taxa SELIC vigente no período.

E por ultimo, outros títulos como o CDI (Certificados de Deposito Interbancário) entram nessa lista.

Títulos de CDI nada mais são do que títulos emitidos agora pelas instituições financeiras, visando sanar suas necessidades de caixa no curto prazo.

Esses títulos são ligados diretamente à solidez do banco que os emitiu e, dessa forma, eles são utilizados como garantias de empréstimos entre uma instituição financeira e outra.

Em geral, esses títulos de CDI também acompanham diretamente a variação da taxa Selic.

Conclusão

É sempre importante compreender algumas das múltiplas finalidades que a taxa Selic tem sobre a economia brasileira, bem como sua direta influencia sobre a criação de empregos, consumo e poupança da população em geral.

A taxa Selic é uma ferramenta muito importante de ajustes macroeconômicos e deve ser cobrada pelos cidadãos brasileiros a responsabilidade por parte de seus governantes na correta e responsável manipulação dessa taxa de juros.

Comentários

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

©2018 SUNO RESEARCH | Investimentos inteligentes

Share This

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account