taxa de performance

Todo gestor de fundos de investimento almeja sempre entregar a melhor rentabilidade possível para seus clientes. Mas em troca disso, alguns fundos cobram pela chamada taxa de performance.

Vista ao mesmo tempo como um custo para o cotista, mas como uma recompensa para o gestor que supera suas metas, a taxa de performance é um ponto que precisa ser avaliado com cuidado. Muitas vezes, mesmo com valores elevados, o seu custo-beneficio pode compensar para o investidor

O que é taxa de performance?

A taxa de performance é um percentual cobrado por um fundo de investimento sobre o resultado que superar a sua meta de rentabilidade.

Também conhecida como taxa de sucesso ou sucess fee, ela é considerada um estímulo para o gestor realizar um bom trabalho e fazer a carteira do fundo superar o seu benchmark de rendimento.

Porém, ao contrário da taxa de administração, a taxa de performance é uma cobrança opcional e condicional. Ou seja, a sua existência fica a cargo do fundo, que pode prever ou não a cobrança pela performance em seu regulamento.

Além disso, a taxa só é aplicada nos períodos onde o fundo render mais do que o indicador de rentabilidade adotado como meta.

Como a taxa de performance é cobrada?

A taxa de performance é cobrada sobre a rentabilidade de um período que exceder o índice de desempenho previamente determinado – chamado de benchmark. Ou seja, o fundo deve superar em pelo menos 100% do seu benchmark para poder cobrar pela performance.

O fundo é livre para escolher o benchmark que norteará a sua operação. Porém, os indicadores mais utilizados pelo mercado são o Ibovespa (para fundos de ações), o dólar (para fundos cambiais) e CDI (para os demais fundos).

A cobrança pela performance é feita semestralmente e forma automática pelo fundo. Ou seja, nos semestres onde a meta for superada, o valor da taxa é provisionado diretamente em cima do valor de cada cota do fundo.

Além disso, a taxa de performance também tem o sistema de compensação de “linha dágua”. Com ele, uma rentabilidade abaixo do benchmark pode ser abatida na taxa a ser cobrada dos próximos períodos.

Tradicionalmente, a alíquota da taxa de performance nos fundos de investimento brasileiros é de 20%

Quais fundos de investimento podem cobrar taxa de performance?

De modo geral, apenas fundos com gestão ativa – ou seja, aqueles em que o gestor atua diretamente para fazer o patrimônio do fundo render, podem cobrar taxa de performance.

Ou seja, se enquadram nesse tipo de fundo os:

Logo, os fundos de renda fixa e demais modalidades não podem cobrar pela por nenhuma taxa além da taxa de administração – já que se tratam de fundos passivos.

Exemplo de aplicação da taxa de performance

Para exemplificar como a taxa de performance é cobrada, considere a seguinte situação:

Fundo de Ações ABC

  • Taxa de performance: 20%
  • Benchmark: Ibovespa

Em um determinado semestre, o Ibovespa se valorizou 6%. Por outro lado, o fundo apresentou rentabilidade de 11% – já descontadas a taxa de administração e demais despesas.

Nesse caso, a taxa de performance será:

(9% – 5%) x 20% = 1%

Logo, o gestor do fundo receberá, a título de taxa de performance, 1% do capital total investido no fundo no final daquele semestre.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.