A taxa de juros da economia influencia o dia-a-dia da população
Por: Tiago Reis

Taxa de juros: como a sua variação influencia a economia do país?

Para quem investe, estar ciente da importância que existe o cenário econômico e como a taxa de juros tem o poder de influenciar diretamente a sua estrutura é fundamental.

Por isso, compreender como a taxa de juros contribui para melhores resultados nas aplicações financeiras, pois isto afeta de maneira direta a rentabilidade da maioria dos investimentos disponibilizados no mercado.

Neste sentido, ao se comentar sobre a taxa de juros, automaticamente o termo Taxa Selic é levado em consideração por praticamente toda pessoa.

Cenário de alta da taxa de juros

Em um cenário de alta da Taxa Selic, a tendência é que todas as outras taxas do mercado também se elevem, o que resulta em uma situação de crédito mais restritivo às empresas e às famílias brasileiras.

De maneira paralela, existe, nesta conjuntura, um incentivo às aplicações de renda fixa, isto por que os rendimentos sobre as muitas aplicações financeiras ficam mais atrativos com a alta dos juros.

Por consequência do que foi mencionado acima, existe uma tendência de que haja uma redução no consumo das famílias e também nas empresas, haja visto que o “custo do dinheiro” acaba por ficar mais “caro” que o normal, fazendo com o que capital fique menos disponível no mercado.

Com as famílias consumindo menos e as empresas produzindo também abaixo de suas expectativas, diminui-se a empregabilidade da população, o que ocasiona a redução da renda das famílias, levando-as a consumir ainda menos.

Ocasiona-se, com isso, um verdadeiro efeito bola de nove que resulta na redução do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Entretanto, é importante mencionar que, num ambiente de menor demanda como o acima descrito, normalmente obtém-se, por tabela, o controle da inflação.

Dessa forma, é comum que uma alta de juros seja praticada como uma forma de se manter a inflação sob controle.

Cenário de baixa da taxa de juros

Em um cenário de redução da Taxa Selic, a tendência é que todas as outras taxas do mercado também sejam reduzidas, o que resulta em uma situação de crédito mais barato, ou seja, mais acessível, às empresas e às famílias brasileiras.

Por consequência, existe uma tendência de que haja um incentivo ao consumo das famílias e também nas empresas, haja visto que os rendimentos sobre as aplicações financeiras tendem a ficar menos atrativos.

Com as famílias consumindo mais e as empresas produzindo bem, aumenta-se a empregabilidade da população, o que ocasiona o aumento da renda das famílias, levando-as a consumir ainda mais.

Ocasiona-se, com isso, um verdadeiro efeito bola de novem, porém no sentido contrário ao do destacado anteriormente, haja visto que nessa conjuntura observa-se um crescimento econômico e a um consequente aumento do PIB.

Contudo, se a produtividade não acompanhar o aumento da demanda do consumo, a tendência é que aconteça um surto inflacionário, pois diminui-se a oferta a medida que a procura se torna mais representativa.

Conclusão

É possível compreender, de acordo com o que foi mencionado, que o ciclo da taxa de juros precisa ser muito bem gerido pelo governo através de suas políticas monetárias para que, assim, evite-se o fenômeno da inflação e se consiga manter, em paralelo, a produtividade em um movimento de alta satisfatório.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

1 comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Keicy 17 de novembro de 2019

    No texto “Cenário de baixa da taxa de juros” tem uma palavra escrita errada no quarto paragrafo.

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

205 artigos
Ações

FIIs

52 artigos
FIIs

FALTAM POUCOS

DIAS PARA A

DIAS
 HOR
 MIN
 SEG

INSCREVA-SE E TENHA ACESSO À OFERTAS IMPERDÍVEIS!

%d blogueiros gostam disto: