strangle
Por: Tiago Reis

Strangle: entenda como funciona essa estratégia no mercado de opções

O mercado de opções é onde são negociados os chamados derivativos financeiros, que garantem ao seu titular o direito de compra ou venda de determinado ativo, por certo valor. Nesse mercado, uma das estratégias que podem ser utilizadas é o strangle.

Bastante semelhante ao straddle, o strangle pode ser de dois tipos: long ou short.

O que é o strangle?

Strangle é uma estratégia utilizada no mercado de opções a partir da compra de duas opções, uma opção put e outra opção call, com igual vencimento, mas com preços de exercício diferentes.

Assim, as operações com as opções strangle podem ser do tipo long (ou seja, com a compra simultânea das duas opções, ou do tipo short (que envolve a venda simultânea dessas duas opções).

Como funciona o strangle?

Assim como o straddle, o strangle é uma montagem de estratégia em que é comprada uma put com determinado preço de exercício “A” e também uma call com preço de exercício acima de “A”, com o mesmo vencimento.

O strangle pode ocorrer em duas maneiras diferentes, tanto na posição comprada ou na posição vendida. Elas funcionam da seguinte forma:

  • Compra do strangle ou long strangle: a compra do strangle é realizada quando o negociador acredita que haverá intensos movimentos de um ativo, seja de alta ou de queda. O negociador investe para comprar opções de compra ou venda do ativo. Logo, seu objetivo principal é ganhar com a volatilidade do mercado.
  • Venda do strangle ou short strangle: realizada quando o negociador acredita que a ação estará estável até que chegue o vencimento das opções. A exemplo do short straddle, envolve alto risco por não possuir um prejuízo limitado.

O cenário mais comum é que o preço de exercício da call esteja um pouco mais elevado que o da put que foi comprada. No entanto, isso não impede que a distância seja maior, para que se possa reduzir o custo de entrada.

Quanto maior a distância, maior vai ter que ser o movimento da ação até a data do vencimento. Isso para que o resultado seja um valor mais elevado que aquele utilizado na montagem da operação.

Exemplo de operação com strangle

strangle

A fim de demonstrar melhor como funciona o strangle, confira o seguinte exemplo:

Suponha que um investidor espere que determinada ação vá sofrer forte movimentação. No entanto, não sabe para qual lado.

Assim, a lógica é obter ganho independentemente do lado para o qual o ativo se movimente. Nesse cenário, não existe limite para o lucro máximo. Por sua vez, a máxima perda corresponde ao custo inicial de compra das opções.

O investidor então tem uma ação cotada a R$ 20,00 e tem esta crença de movimentação. Por isso, compra 1.000 opções put mediante preço de exercício de R$ 19,00, e 1.000 opções call com preço de exercício de R$ 21,00.

Logo, neste exemplo de strangle, temos que:

  • Se a ação estiver abaixo de R$ 19,00 na data do vencimento, o investidor pode exercer a opção put. A opção call vira pó (desaparece).
    Dessa forma , o custo de venda de 1.000 ações a R$ 19,00 em relação ao exercício de opções, que corresponde ao custo de compra de 1.000 ações no mercado à vista. O prêmio vai ser pago para a compra das opções;
  • Se a ação estiver acima de R$ 21,00 na data de vencimento, o investidor pode exercer a opção call. A opção put desaparece. Assim, o custo de venda de 1.000 ações no mercado à vista corresponde ao custo de compra de 1.000 ações a R$ 21,00 em relação ao exercício de opções. O prêmio vai ser pago para a compra das opções.
  • Se a ação estiver entre R$ 19,00 e R$ 21,00 na data de vencimento, o prejuízo vai corresponder ao prêmio que se pagou pelas opções, ou seja, o prêmio para montagem da estratégia. Este é o máximo prejuízo da operação.

Diferenças entre o straddle e o strangle

Straddle e strangle são operações parecidas, mas há um diferencial significativo entre elas. Basicamente, a diferença entre straddle e strangle é no preço de exercício.

Logo, o que distingue entre estas estratégias é a distância entre call e put compradas, que no strangle estão em preços de exercício diferentes. Assim, a estratégia strangle disponibiliza uma operação mais em conta para a entrada.

Por isso, o straddle e strangle possuem uma disparidade considerável no risco envolvido em cada um. A estratégia strangle apresenta menos risco que a estratégia straddle. Entretanto, os ganhos no strangle são menores.

Riscos da operação com strangle

Mesmo sendo menos arriscado que o straddle, o strangle é uma operação com um risco considerável, já que se trata de negociar ativos altamente especulativo como as opções. Em uma estratégia strangle, o pior cenário é aquele em que o ativo fique entre os valores de seus preços de exercício no vencimento, fazendo as duas opções se extinguirem e também o investimento inicial.

Para entender melhor sobre o mercado de opções e demais estratégias como o strangle, baixe gratuitamente o nosso Manual do Investidor Iniciante e aprenda todo sobre o funcionamento do mercado financeiro e das diversas operações na Bolsa de Valores.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

2 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Eduardo Monteiro 4 de julho de 2019

    qual a sua certificação Tiago Reis?

    Responder
    • Suno Research 30 de julho de 2019

      O Tiago é CNPI

      Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Como analisar uma ação

Conheça o Passo A Passo para você analisar quais as melhores ações para investir!

%d blogueiros gostam disto: