store in store
Por: Tiago Reis

Store in store: conheça este modelo de estrutura de lojas

Apesar do nome pouco conhecido, a implementação do store in store tem se expandido pouco a pouco no mercado varejista nos últimos anos.

Isso porque, através do store in store, é possível ampliar negócios sem ter grandes custos no planejamento financeiro.

O que é store in store?

Store in store (loja dentro de outra loja, em tradução livre) é um modelo de negócios no qual um estabelecimento comercial é aberto dentro de outro, de um ramo de atividades diferente. A ideia é otimizar espaço e oferecer diferentes opções para um mesmo cliente.

A ideia foi importada de países europeus, mas que tem ganhado força no Brasil nos últimos anos — principalmente em shoppings e cafeterias.

E-book: Comece a Investir na Bolsa

Comece a investir! Saiba tudo que você precisa saber para dar os seus primeiros passos na Bolsa com o nosso Manual Gratuito do Investidor Iniciante!

É importante pontuar que o store in store é diferente do coworking. O primeiro envolve um estabelecimento comercial abrindo espaço para outro dentro das suas dependências.

Já o coworking é um modelo no qual vários prestadores de serviço dividem um ambiente de forma igualitária, para pagar um valor menor em aluguel e contas de energia elétrica e água, por exemplo.

Apesar da recente popularidade, este modelo não é exatamente novo. Basta pensar em lanchonetes e pequenos estabelecimentos que há muito se encontram em aeroportos e hospitais, por exemplo.

Vantagens do store in store

Existem diversas vantages do store in store para as empresas que o aderem.

A primeira é a diversificação de produtos ofertados, sem que haja a necessidade de um investimento financeiro para que isto ocorra. Isso porque o estabelecimento que optou por agregar outro em sua loja não precisará comprar novas mercadorias.

Para quem ocupa aquele espaço também é vantajoso, já que não será necessário abrir uma filial para ampliar seu negócio. Em vez disso, será utilizada uma estrutura já existente.

O que sai bem mais barato, afinal, será pago apenas um valor acordado com o dono do estabelecimento para que haja essa inclusão no seu espaço. Isso sem falar nos custos fixos como pessoal e contas de consumo, que não existirão neste caso.

No mercado existem, inclusive, diversas franquias que utilizam este método. Porém, cada uma com diretrizes específicas do que é necessário para funcionar em parceria com outro estabelecimento.

E esta prática já integra alguns modelos de cafeteria adotados no Brasil.

5 amostras gratuitas para você conhecer a Suno!

Cuidados com empresas que implementam esse modelo

Assim como qualquer transação comercial, é preciso ter cuidado antes de entrar neste modelo de negócio.

Empresas que operam neste modelo, precisam adotar alguns cuidados. É essencial que haja um contrato bem redigido, com todas as regras e valores envolvidos sendo especificados, assim como a possibilidade de reajustes.

Se envolver a cobrança de algum percentual sobre a mercadoria vendida no estabelecimento receptor, será necessário recalcular os preços para não ter prejuízo, por exemplo.

O controle de mercadorias deverá ser periodicamente feito por um representante da empresa à qual elas pertencem, para que haja transparência e confiabilidade nos dados.

Foi possível saber mais sobre store in store? Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo.

Telegram Suno
Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs