Seguindo os passos do rei

Meu nome é Willian José Wohlers, tenho 42 anos, sou ex-feirante, e atingi minha independência financeira através do mercado financeiro, trabalhando muito e investindo minhas economias em ações, após conselhos do Luiz Barsi, para quem eu vendia ovos, décadas atrás.

Aceitei o convite da Suno em falar do meu caso, produzindo esse material, primeiramente porque tenho muita amizade com a Suno, onde me ajudaram muito a investir melhor e potencializar ainda mais meus resultados, e principalmente porque acredito que servirá de inspiração para muita gente, já que eu sou um exemplo de que qualquer pessoa pode chegar lá (atingir a independência financeira), desde que tenha disciplina, paciência e foco.

Muitas pessoas, por serem simples, terem um salário relativamente baixo, e não conseguirem poupar muito, acabam se autolimitando e se impossibilitando de terem um sucesso financeiro, uma aposentadoria digna.

Meu intuito, dessa forma, é mostrar que mesmo uma pessoa que tenha um trabalho simples, que venha de origem humilde, ainda pode atingir sua independência financeira, desde que tenha foco, perseverança e disciplina de economizar e investir todos os meses. Não é fácil, é verdade, mas com determinação, qualquer um pode chegar lá.

E por conta disso, eu iniciarei hoje uma série de publicações, contando um pouco da minha história.

O INÍCIO

Comecei a trabalhar muito cedo, com cerca de 10 anos de idade, meu pai ingressou no final dos anos 70 na profissão de feirante, mais precisamente, no ano de 1978, ele começou a fazer feiras na nossa região, de Mairiporã, Atibaia, e eu, ainda apenas uma criança de 10 anos, ia acompanhar meu pai no trabalho diariamente. Sempre fui trabalhador, desde pequeno, e a minha vida nunca foi fácil nesse sentido.

Eu via meu pai trabalhar de 15 a 18 horas por dia, quase todos os dias, exceto segunda-feira, e era bastante cansativo, mas meu pai, sem dúvidas, foi alguém que muito me influenciou para sempre ter uma vida correta e sempre focado em trabalhar muito.

Trabalhando muito, meu pai foi um homem que obteve algum sucesso relativo no comércio, o que me possibilitou estudar, fazer alguns cursos na minha adolescência, como inglês, etc, e ter uma vida relativamente boa, mas nunca com a organização e a filosofia de educação financeira que deveria ter tido, e que fui conhecer alguns anos depois, o que me fez atingir o ponto ideal, unindo minha vontade e força para trabalhar que aprendi e me inspirei em meu pai, e a educação financeira, que viria aprender anos depois, principalmente com Luiz Barsi Filho, o qual acabou sendo uma pessoa extremamente importante para mim.

Alguns anos depois, quando eu já estava com 16 anos, meu pai passou a me dar a direção da feira de Mairiporã, que era uma feira realizada apenas nos sábados, e assim eu comecei a ter uma autonomia maior sobre a minha vida, ganhar algum dinheiro, embora ainda fosse pouco.

Nessa época, ganhando meu primeiro dinheiro, eu pensava em comprar um carro, pois era uma espécie de sonho de adolescência, e eu pouco podia me divertir, sair ou aproveitar, justamente por trabalhar tanto.

Eu via muitos garotos, na época, da minha faixa etária voltando do baile, na curtição, e eu estava indo trabalhar de manhã cedo, com um avental nas mãos, mas eu acreditava que isso era fundamental para minha vida, que se eu quisesse atingir algo na vida, eu teria que fazer um esforço maior do que aquelas pessoas estavam fazendo, então eu já me colocava com uma postura diferente, mesmo nessa época.

Comandando a feira de Mairiporã com cerca de 16 anos, e comecei a fazer alguns clientes, modificar algumas coisas na metodologia de meu pai trabalhar, fui vendendo, melhorando minhas vendas, mas mesmo assim, apenas trabalhando para pagar as contas em geral, não era fácil, não sobrava dinheiro.

Nessa época, comecei a ter contato com um Senhor chamado Luiz, que sempre ia na minha banca todos os sábados, por volta das 10 ou 11 horas da manhã, para comprar ovos. Não fazia ideia de quem ele era, para mim, era apenas mais um cliente comum e jamais imaginaria que aquele Sr. seria um dos responsáveis por uma mudança muito positiva na minha vida.

Lembro-me que ele costumava, todos os sábados pela manhã, deixar a caixa de ovos para eu preenchê-la com a quantidade que ele desejava, e alguns minutos depois, de ir comprar legumes e frutas em outras bancas da feira, ele voltava e costumávamos ficar conversando, sempre durante 10 a 15 minutos.

Era um senhor muito bacana, atencioso, e aos poucos fomos criando essa amizade, e durante mais de um ano ele frequentou a feira, indo comprar ovos na minha banca todas as manhãs de sábado religiosamente.

Após cerca de um ano que eu vendia ovos para esse Sr, já tínhamos criado uma certa amizade um com o outro e ele se sentia bastante confortável em conversar comigo, e dessa forma, ele me perguntou em uma dessas idas dele à feira, se eu pretendia ficar trabalhando na feira o resto da minha vida, como se estivesse me estimulando a procurar algo mais.

Naquele momento, naquela época, eu gostava muito de vender, de ser um feirante, então na minha cabeça não passava realmente nada sobre dar um novo rumo em minha vida, como seguir uma outra profissão, estudar, e eu nem sabia realmente a intenção dele com aquele questionamento.

Logo depois, vi que ele passou a me fazer algumas outras perguntas, se eu conhecia a bolsa de valores, e coisas do tipo. Eu, apesar de jovem, gostava bastante de ler jornais, e tinha ideia do que era, mas bem superficialmente.

Conversamos mais um pouco e ele foi embora. Na semana seguinte, lá estava ele, o “Seu Luiz”, me trazendo sua caixa de ovos, o que já era um hábito rotineiro, mas dessa vez havia algo de diferente, pois ele me chamou, e pediu para que além dos ovos que eu deveria escolher para ele, eu pegasse algo que ele havia trazido para mim, que eram alguns papéis, e pediu para eu olhar com calma, quando estivesse em casa.

Vi que era uma ficha de cadastro de uma corretora de valores. Achei interessante, mas por ter uma vida muito corrida, e pouco ou nenhum dinheiro me sobrava, acabei não preenchendo, postergando e no fim das contas, deixei aqueles papéis lá abandonados.

Alguns meses então se passaram e o Sr. Luiz havia parado de frequentar a feira, pois a feira havia mudado de localização. Sentia falta das conversas com aquele nobre senhor, mas entendi que clientes iam e vinham, e fazia parte do negócio, mas eu havia guardado em minhas lembranças as palavras do Sr. Luiz, e não sabia muito bem como aproveitá-las, mas sabia que um dia poderiam ser importantes.

Vários anos depois, já em meados de 2003, fui convidado a fazer um curso sobre como investir na bolsa de valores. Nesse curso que resolvi me inscrever, vi em um dos slides a foto do seu Luiz, o Luiz Barsi Filho, e nos slides falavam que ele era o maior investidor pessoa física da bolsa.

Isso acabou me surpreendendo muito, e me deixou bastante confuso sobre se realmente ele era o Seu Luiz, aquele senhor que durante anos comprava ovos em minha banca, e que para mim, era apenas uma pessoa comum, que tinha a profissão de advogado, mas que eu jamais poderia imaginar que seria um dos maiores investidores do país.

Foi aí que me vieram todos aqueles flashes na mente e que eu percebi que aquelas conversas que ele tinha comigo e toda a atenção que me dava, e principalmente, com o convite dele para entrar na bolsa de valores, era um chamado de um dos maiores investidores do Brasil, especialmente para mim.

Dessa forma, eu entendi definitivamente o que o Sr. Luiz Barsi queria para mim, e eu, apenas anos depois, a partir de 2003, resolvi seguí-lo.

Inspirado pelo Seu Luiz, o meu ex-cliente e amigo de banca de feira, passei a focar-me no investimento em ações, adquirindo ações sempre que podia (mensalmente de preferência) com as sobras de meus ganhos, que eram poucos, mas que me ajudaram a criar uma disciplina que hoje está enraizada em mim. Tenho feito isso pelos últimos 15 anos e não pretendo parar.

Hoje, aos 42 anos, tenho duas empresas, também no segmento de ovos, afinal, eu sempre gostei e gosto até hoje de vender, e estou independente financeiramente. Ou seja, apesar de gostar muito do que faço, hoje sei que se quisesse ou precisasse parar de trabalhar, teria uma renda proveniente de dividendos e rendimentos que seria capaz de pagar todas minhas despesas e sustentar meu padrão de vida, ainda com alguma folga para investir. Essa é a independência financeira.

Sou eternamente grato ao Seu Luiz que me abriu os olhos para esse caminho, e não tenho dúvidas de que, se não tivesse tomado a decisão de investir, acumulando ativos, reinvestindo seus dividendos ao longo de todos anos, e estruturando uma carteira previdenciária, eu não teria chegado onde cheguei.

Hoje, com a Suno Research me auxiliando, e o acesso a todos os relatórios e informações, se torna ainda mais fácil trilhar esse caminho, e não pretendo parar, pois apesar de já ter atingido a independência financeira, criei um hábito em mim, e isso tudo passou a ser uma espécie de hobby para mim, e um ambiente onde também fiz e faço muitos amigos.

Espero que essa primeira publicação sirva de motivação e inspiração para muitos, que assim como eu no início, possuem um trabalho simples, porém digno, que ganham pouco, a atingirem a independência financeira.

Em um país como o Brasil, onde cerca de 70% dos aposentados vivem com um salário mínimo e passam necessidade na terceira idade, investir e ter uma renda passiva pensando no futuro é fundamental e eu estou aqui para provar e mostrar que é possível, para qualquer um.

Inicialmente minha ideia era atingir esse patamar por volta dos 50 ou 55 anos, mas os juros compostos são surpreendentes e a nossa disciplina faz as coisas ficarem cada vez mais fáceis, e eu acabei conseguindo muito antes do que imaginava.

Não é rápido, nem simples, e tampouco fácil, mas é possível e eu espero que vocês, que estão tendo acesso a esse conteúdo, estejam certo que todas as pessoas têm essa capacidade de ter essa liberdade financeira, e portanto, nenhum de vocês é desabonado, não importa sua profissão, não importa a sua renda, a sua situação atual, tendo disciplina e a força de vontade, todos vocês poderão chegar lá.

Nos próximos capítulos dessa série, contarei um pouco mais sobre os motivos que me levaram a querer investir, e também sobre as estratégias que segui para trilhar esse caminho.

Nos vemos na próxima semana.

Um abraço,

Willian J. Wohlers

Comentários

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

©2017 SUNO RESEARCH | Investimentos inteligentes

[i]
[i]

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account