Sabe O Que é Risco De Liquidez Contamos Aqui Este Segredo Das Ações Ignoradas Pela Mídia E Pelo Público
Por: Tiago Reis

Risco de liquidez: o segredo das ações ignoradas pela mídia e público

Você conhece o risco de liquidez?

Esse risco pode ser um problema se você espera ganhar dinheiro vendendo ações.

O risco de liquidez mede a dificuldade em se desfazer do seu investimento nas condições de mercado.

Exemplo:

Se você quiser vender 300 ações ABEV3 a R$ 25, pode demorar até conseguir, ou talvez precise reduzir o preço pedido para concretizar a venda.

Chamamos de ações de baixa liquidez aquelas ações que possuem poucos negócios diários na bolsa de valores, ou seja, são mais difíceis de comprar ou vender.

Já as ações de alta liquidez, como as do índice Ibovespa, possuem um grande volume de negociação, ou seja, são mais fáceis de negociar.

O risco de liquidez no mercado financeiro

risco de liquidez

Como você deve imaginar, nem todos os investimentos possuem a mesma liquidez.

Existem investimentos com liquidez imediata, como a caderneta de poupança, em que é possível resgatar o seu dinheiro a qualquer horário do dia.

Por outro lado, se você pedir o resgate do seu dinheiro em alguns fundos de investimento pode ser que demore até conseguir resgatar o seu dinheiro.

E mesmo dentro de um mesmo mercado, como o de renda variável, a liquidez varia bastante.

A liquidez do mercado de ações, por exemplo, é muito maior do que no mercado de Fundos Imobiliários.

Nos últimos 3 meses o volume médio diário de negócios de todas as ações foi de quase R$ 10 bilhões enquanto que para os fundos imobiliários esse valor foi próximo de R$ 50 milhões.

Risco de liquidez da Grazziotin

risco de liquidez
Volume CGRA3 (vermelho) e CGRA4 (amarelo) – Economatica

A Grazziotin é uma empresa que possui duas classes de ações negociadas na bolsa: ON e PN.

Como podemos ver no gráfico acima, o volume negociado diário na PN (CGRA4) é em média quase 8 vezes maior do que na ON (CGRA3).

Nos últimos 3 meses, CGRA4 movimentou em média R$ 344.000 por dia, enquanto que para a CGRA3 esse valor foi de R$ 44.000.

Perceba que a menor liquidez da ON pode prejudicar o investidor que queira montar ou desmontar posições no papel.

Por exemplo, uma ordem de venda de R$ 22.000 representaria metade da liquidez diária.

Nesse caso o investidor pode demorar mais para ter sua ordem executada.

Ou então, os compradores podem diminuir o preço de compra (bid) em resposta à oferta elevada de ações.

A falta de liquidez pode prejudicar o investidor que queira resgatar o dinheiro para uma emergência, ou para alocar em outras oportunidades, ou porque a empresa deteriorou.

Voltando ao exemplo da Grazziotin, podemos ver no gráfico abaixo que a ON em média negocia a um preço menor do que a PN. O motivo disso é a menor liquidez da ON.

risco de liquidez
Cotação da ON (azul) e PN (vermelho) – Economatica

Uma outra forma de entender o desconto pelo risco de liquidez é através do modelo de fluxo de caixa descontado. Neste modelo adicionamos um prêmio de liquidez à taxa de desconto.

Onde encontrar a liquidez de uma ação

Para descobrir qual é a liquidez de determinada ação existem algumas opções gratuitas.

A primeira delas é acessando o Home Broker da sua corretora.

Ou seja, no book de ofertas, ou em algum outro lugar, você conseguirá o volume e o número de negócios.

Outra alternativa é através da consulta nos sites Fundamentus e Infomoney.

Geralmente ações com um free float elevado também possuem boa liquidez. Você pode consultar o free float na página da empresa dentro do site da bolsa de valores (B³).

A importância da liquidez na escala de prioridades do investidor

No livro “Ações e Precauções” o autor Gerard Haentzschel diz que o investidor de longo prazo deve se preocupar com apenas três coisas em um investimento, em ordem decrescente de importância:

  1. Segurança
  2. Rentabilidade
  3. Liquidez

A segurança está relacionada à escolha de empresas sólidas, com histórico comprovado de resultados, alta lucratividade, baixo endividamento, gestão competente e modelo de negócio perene.

Já a rentabilidade está associada ao conceito de margem de segurança na compra, que é a ideia de pagar um preço bem abaixo do valor intrínseco da ação.

E, por fim, a liquidez é a última coisa com que o investidor de longo prazo deve se preocupar.

Concordamos com essa hierarquia.

Quando você compra uma ação através do Value Investing, você espera permanecer com o investimento por anos, recebendo dividendos e vendo o seu patrimônio valorizar.

Warren Buffet costuma dizer que o período ideal para ficar com uma ação é para sempre.

O ideal é que você nunca invista no mercado de renda variável um dinheiro com prazo.

Você precisa ter uma reserva de emergência na renda fixa. Às vezes, contudo, é preciso se desfazer de algumas ações por uma deterioração econômica do investimento.

É o caso da Eternit, por exemplo, que era uma excelente empresa e entrou em recuperação judicial recentemente.

Claro que é preferível ter ações com baixo risco de liquidez ao invés de ações muito pouco negociadas. Se você é um investidor iniciante, talvez se sinta mais confortável com ações mais líquidas.

Mas a falta de liquidez não deve ser um impedimento na hora de investir. Lembre-se da ordem segurança, rentabilidade e liquidez.

Ações com baixa liquidez podem ser oportunidades

Na verdade, ações com baixa liquidez podem ser verdadeiras jóias escondidos.

Como assim??

Então, é bem simples.

Geralmente papéis com baixa negociação tem pouca cobertura da mídia, e ficam longe do radar de investidores institucionais, como fundos de investimento e de pensão.

Esses tubarões do mercado possuem uma quantidade muito grande de recursos e portanto, seria inviável montar e desmontar posições rapidamente em ações menos líquidas.

Pense nesses investidores como transatlânticos, lentos para fazer qualquer mudança na rota.

Já o investidor pessoa física é como um veleiro, pronto a ajustar suas velas ao menor sinal de mudança na direção do vento.

Agindo dessa forma, poderá aproveitar rapidamente as oportunidades que surgem nas ações ignoradas pelo restante do mercado.

Conclusão

Investir em ações na bolsa de valores possui vários riscos.

Mas o risco de liquidez é um dos menos importantes. Afinal, você não compra uma ação esperando vende-la tão cedo. Ainda por cima, as ações com baixa liquidez podem estar sendo negociadas abaixo do que valem. Por isso aproveite!

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

1 comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Maikon Lima 22 de outubro de 2019

    Teoria interessante, faz muito sentido, não se importar tanto com liquides se você pretende ficar com a ação por muito tempo ou pra sempre.

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Invista Como
Warren Bufeett

Aprenda a usar a estratégia do Value Investing, usada pelo maior investidor do mundo!

%d blogueiros gostam disto: