Acesso Rápido

    Resumo da Semana – Manutenção da Selic, euforia no mercado e continuação da divulgação dos resultados trimestrais

    Resumo da Semana – Manutenção da Selic, euforia no mercado e continuação da divulgação dos resultados trimestrais

    O Ibovespa encerrou a última quinta-feira (01) registrando 88.419 pontos, o que representou, naquele dia, uma alta de +1,14%. Na semana, na sua variação foi também positiva, de expressivos +3,15%. No acumulado do ano de 2018, o principal índice das ações negociadas na bolsa de valores do Brasil segue com uma variação positiva de +15,73%.

    Já o Ifix apresentou, também na quinta-feira, uma alta de +0,36%, encerrando aquele dia aos 2.251 pontos. Na semana a sua alta foi de +1,37%, ao passo que, em 2018, o índice demonstra uma também valorização de +1,09%.

    Dentre os principais acontecimentos da semana, um dos mais relevantes se fez através do anúncio feito quarta-feira (31) pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que decidiu manter a taxa básica de juros da economia em 6,5% ao ano (a.a.). Foi a quinta vez consecutiva que o Copom decidiu não alterar a taxa Selic, que está no menor patamar desde o início do regime de metas para a inflação, adotado em 1999. A reunião da quarta-feira foi a primeira do comitê, responsável por definir os juros com foco no controle da inflação, após a eleição de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República ocorrida no último domingo (28).

    Além disso, o mercado se mostra empolgado com os recentes anúncios para o governo do futuro presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Após anunciar o astronauta Marcos Pontes como ministro da Ciência e Tecnologia, Bolsonaro afirmou que Sérgio Moro será o seu ministro da Justiça. Moro, que ficou conhecido pela Lava Jato e por prender o ex presidente Lula, assumirá o cargo logo na primeira semana de janeiro de 2019. O mercado acredita que o juiz, que tem a luta contra a corrupção como sua grande arma, fará do governo de Jair Bolsonaro ainda mais forte.

    Tudo indica que a perspectiva de euforia no mercado deva continuar nas próximas semanas e, nesse sentido, é possível que menos oportunidades de bons ativos sendo negociados com satisfatórias margens de segurança sejam encontradas. Vale lembrar, ainda nesse espectro, que o Ibovespa fechou o pregão de quinta-feira renovando o recorde histórico, com o cenário externo positivo e os agentes financeiros na expectativa de novos anúncios sobre a equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro, além dos planos para a economia.

    O mercado também segue, nesse momento, bastante atento aos resultados referentes ao terceiro trimestre do ano por parte das companhias abertas. Tal evento deve continuar até a metade do mês de novembro, e tais divulgações podem contribuir para que se observe alguma volatilidade interessante no mercado de capitais. Seguiremos de olho em tal processo de modo a deixar nossos assinantes a par dos principais acontecimentos.

    Por fim, embora achemos mais desafiador o vislumbre de boas oportunidades de investimentos em um mercado altista, é possível ainda encontrar ativos presentes em nossas carteiras de recomendações sendo negociados abaixo do preço teto de entrada sugerido. Contudo, seguiremos em constante vigilância, tanto dos números quanto dos fundamentos dos ativos negociados na bolsa brasileira e americana, de modo que boas recomendações de aplicações financeiras possam ser feitas para aqueles que confiam em nossas teses de investimentos.

    Conteúdos Premium da Semana

    Conteúdos Gratuitos da Semana