As reservas internacionais influenciam diretamente o dia-a-dia da economia
Por: Tiago Reis

O que são as Reservas internacionais? Entenda o conceito neste artigo

Presente na conjuntura da política monetária de todo país, e com características que podem influenciar diretamente nos rendimentos das mais diversas modalidades de aplicações financeiras, as reservas internacionais são um fator de bastante relevância no contexto econômico de um país.

Por conta disso, ter ciência dos principais pontos a se considerar no que diz respeito as nuances que existem por detrás das reservas internacionais é um ponto que precisa ser levado em consideração com bastante atenção por um investidor.

Reservas internacionais – Definição

As reservas internacionais nada mais são do que um tipo de reserva em moeda forte de um país.

Quando se fala em moeda forte, é preciso correlacionar o tema ao Dólar, Euro ou, ainda, até mesmo o Ouro.

Vale mencionar, também, que o termo destacado neste artigo tem origem proveniente de superávits primários sucessivos de Balanços de Pagamentos e, dessa maneira, os saldos positivos são “reservados” para serem utilizados quando necessários.

Em outras palavras, em um cenário onde entra-se mais capital do que é visto saindo do país, o governo, normalmente, utiliza esses recursos como essa reserva para utilizá-lo, posteriormente, em um período onde o mesmo seja necessário, como em um estágio de crise, por exemplo.

Vale ressaltar, também, que a maior parte dessa “retenção” é investida em títulos da dívida norte-americana, simplesmente pelo fato de ser este o ativo considerado o mais seguro do planeta, além de possuir uma alta liquidez.

Ou seja, liquidez e segurança é o que é buscado pelo governo no que diz respeito à aplicação dessas reservas financeiras.

Utilidade das Reservas

Geralmente, como já mencionado, o Governo utiliza esses recursos como uma forma de proteção em momentos de crises, onde, normalmente, o cenário econômico costuma apresentar, entre outros fatores:

  • Saída de capital do país;
  • Queda nas exportações;
  • Desvalorização do real;
  • Diminuição dos investimentos

Dito isso, as reservas ajudam o país a honrar suas obrigações em dólar, tão quanto a importar produtos e pagar os juros da dívida externa.

Vale destacar que esse tipo de comportamento, por parte de um governo, tende a transmitir uma sensação de segurança para os investidores e, por consequência disso, quanto maiores os níveis das reservas internacionais, maiores podem ser as garantias disponibilizadas para enfrentar possíveis e eventuais cenários de déficits futuros que venha a se tornar reais no decorrer do tempo.

Uma outra grande utilidade, bastante usual no Brasil, é o fato de que as reservas tendem a diminuir grandes variações no câmbio, isto por que o Banco Central pode usar essas reservas para intervir no mercado de câmbio, evitando, assim, possíveis oscilações bruscas no valor de outras moedas – principalmente o Dólar – frente ao Real.

Falta de recursos

No caso de acontecer a tão temida falta de reservas, o Governo normalmente se vê na necessidade de solicitar empréstimos junto à órgãos internacionais, como o Fundo Monetário Internacional (FMI), por exemplo, para utilizar as linhas de créditos disponíveis para, assim, levantar capital e, por consequência, conseguir honrar seus compromissos.

Considerações

É importante mencionar que o governo capta recursos na nossa economia pagando, por eles, valores equivalentes à Taxa Selic, e recebe de remuneração pelas suas reservas, a taxa de juros americana, que é bem mais baixa do que o valor que ele paga por esse capital aqui no Brasil (Selic).

Essa diferença entre a rentabilidade em dólares da Selic e da taxa de juros americana é o custo para o carregamento das reservas.

Assim sendo, o governo precisa, constantemente, avaliar a relação custo benefício da transação, que depende de alguns importantes fatores, como por exemplo: o cenário econômico internacional, o risco país, a política monetária, a política fiscal e também a política cambial.

Conclusão

Como pôde ser observado, as reservas internacionais apresentam um papel muito importante e relevante dentro da conjuntura macroeconômica do país e, certamente, compreender bem a sua definição pode contribuir para os resultados dos investidores no que diz respeito às suas aplicações de longo prazo.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

8 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Pedro Carmo 4 de março de 2020

    Do ponto de vista econômico, é bastante boa a explicação dada. Mas a linguagem poderia ser mais precisa.
    Por exemplo: o período a seguir…

    Em outras palavras, em um cenário onde entra-se mais capital do que é visto saindo do país, o governo, normalmente, utiliza esses recursos como essa reserva para utilizá-lo, posteriormente, em um período onde o mesmo seja necessário, como em um estágio de crise, por exemplo.

    ficaria melhor assim:

    Em outras palavras, num cenário em que a entrada de capital no país é maior que a saída, o governo, normalmente, reserva esses excedentes para utilizá-los posteriormente, em períodos de crise econômica.

    Responder
  • ademir gomes 10 de março de 2020

    o governo Lula pagou o FMI e deixou as reservais cambiais do Brasil com mais de 300 bilhões de dólares.

    qual foi o erro deste governo do Paulo Guedes?

    Responder
    • Marcelo Rossa 27 de março de 2020

      O Lula pagou uma dívida do FMI para fazer marketing eleitoral, pois para pagar essa dívida ele fez dívida com bancos privados e praticamente dobrou a nossa dívida interna, que antes dele era de 300 bilhões e quando a Dilmanta saiu estava em 2 trilhões. Tirou de um lugar para outro, só isso e favoreceu os amigos banqueiros. Lula é a maior farsa do mundo. Não teve uma única ideia original para melhorar o Brasil.

      Responder
  • jorge 26 de março de 2020

    Prezado senhor,
    Venho através deste solicitar a gentileza de me esclarecer se possível algumas duvidas que tenho.
    Sou completamente leigo e não detenho essas informações:
    1) – Para que servem as reservas internacionais
    2) – Quais os valores que temos em dólar e ouro
    3) – Onde estão essas reservas
    4) – Elas são remuneradas mensalmente pelos países nos quais em que estão depositadas
    5) – O governos que necessitarem desses recursos podem disponibilizar desses recursos totalmente ou parcialmente caso haja necessidade:
    6) – Se o fizer quais as consequências disso
    7) – De onde vem essas reservas, digo: de onde os Países retiram esse dinheiro para fazer essas reservas
    8) – Quem é responsável pelo gerenciamento dessas reservas e quem pode repatria-las e quais são os processos legais para que isso seja feito.
    8) – Se tiver mais alguma informação importante que possa me passar eu agradeço.

    Responder
    • Tiago 29 de março de 2020

      Jorge, lê o texto novamente, lá tem boa parte das respostas das suas perguntas.

      Suas dúvidas são bem interessantes e vale a pena um estudo utilizando sites confiáveis na internet, caso não conheça nenhum economista, analista financeiro, etc.

      Uma das funções de se utilizar as reservas cambiais você está vendo agora com os subsídios do governo nessa pandemia do vírus chi, ops, corona vírus.

      Responder
  • Mário 14 de maio de 2020

    ótima explicação, bem didática.

    Responder
  • Mário 14 de maio de 2020

    Tiago, só uma pergunta. Esses recursos são adquiridos juntos aos investidores nacionais pelo tesouro na medida que ele emite títulos públicos vendendo estes à preço de juros Selic, não é?…. depois, utiliza esses recursos para comprar dólares provenientes de exportações, IED e etc… para comprar títulos públicos americanos a base dos juros deles que é mais baixo que o nosso.

    Esse lance das reservas seria trocar uma dívida em dólar em real por parte do governo, para assim, poder ter acesso a essas reservas, seria isso?…

    Responder
  • Mário 14 de maio de 2020

    Sobre o câmbio, na medida que as exportações aumentam entram mais dólares e a moeda nacional se aprecia gerando diminuição do câmbio nominal, certo, seria isso?…. e com isto, o custo da produção nacional aumenta, enquanto da produção estrangeira diminui quando relativizamos com o nosso câmbio, gerando assim, diminuição no câmbio real, seria isso?…..

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

210 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs
accounting (1)

Minicurso Gratuito

Contabilidade Para investidores

Aprenda os principais conceitos sobre contabilidade que todo investidor precisa saber!