Acesso Rápido

    Rendimento da poupança: veja como funciona esta aplicação

    Rendimento da poupança: veja como funciona esta aplicação

    Não é novidade que o rendimento da poupança é baixo o suficiente para esta aplicação mal ser considerada um investimento, até para investidores iniciantes.

    Mas é importante entender que o rendimento da poupança está atrelado a índices econômicos. Portanto, este varia de acordo com a economia.

    O rendimento da poupança varia de acordo com a taxa básica de juros, a Selic. Isso quer dizer que ela não tem um rendimento fixo, oscilando de acordo com o andamento da economia e dos seus indicadores. Dessa forma, os juros da poupança não são fixos.

    Qual o rendimento da poupança?

    rendimento poupança

    Mas afinal, qual é o rendimento da poupança. Bem, isto depende.

    Quando esta taxa de juros for maior do que 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será de 0,5% ao mês, acrescido da Taxa Referencial (TR).

    No entanto, quando a Selic fica abaixo ou igual a 8,5% ao ano, a poupança renderá apenas 70% da Selic, mais a TR.
    Se considerarmos que a TR pode ficar em 0%, o rendimento da poupança é bastante baixo.

    Dependendo do cenário econômico, o rendimento pode ser inferior à inflação. Isso fará com que o investidor, de fato, perca dinheiro.

    Basta perceber que a poupança rende menos até do que aplicações que rendem apenas o CDI (Certificados de Depósito Interbancário).

    O CDI é a taxa ao qual estão atrelado, normalmente, os rendimentos do Certificado de Depósito Bancário (CDB), a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito Agronegócio (LCA).

    Há, inclusive, algumas empresas têm oferecido “contas bancárias” com rendimento de 100% do CDI, como o Nubank.

    O CDI rende um pouco menos que a Selic, mantendo-se sempre um pouco atrás da taxa básica de juros.

    A poupança, no entanto, não tem incidência de Imposto de Renda sobre os seus rendimentos.

    Opções mais vantajosas que a poupança

    rendimento poupança

    A poupança é vista como uma aplicação segura por ser segurada pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), mas este também cobre outros investimentos.

    Esse é justamente o caso da LCI, da LCA e do CDB. Mas a vantagem competitiva se estende também às:

    • Letras de Câmbio,
    • Letras Hipotecárias,
    • Letras Imobiliárias, e
    • Recibos de Depósitos Bancários (RFBs).

    O FGC cobre aplicações de até R$ 250 mil por  instituição financeira. Mas o valor segurado total é de R$ 1 milhão.

    Isso quer dizer que o investidor pode aplicar R$ 250 mil em quatro instituições financeiras diferentes e ainda assim estar segurado.

    E, quem optar por uma aplicação de liquidez diária, poderá retirar o valor aplicado a qualquer momento, sem perda de rendimento.

    Mas, pensando em maiores rendimentos, as opções mais vantajosas são os fundos imobiliários e as ações.

    Isso porque o rendimento desses investimentos é consideravelmente maior. Além de serem opções mais interessantes no longo prazo.

    Então, para quem deseja uma aposentadoria segura, que não dependa da Previdência Social, este é o melhor caminho a seguir.

    O risco destas aplicações pode ser controlado. Mas, para isso, quem não conhece tão a fundo este mercado deve procurar o auxílio de especialistas.

    E é exatamente isto que a Suno Research oferece.

    Por isso, escolher a poupança por medo de perder dinheiro não faz sentido. Afinal, com um rendimento tão baixo, ao fazer esta aplicação, a perda já está ocorrendo.

    Logo, o rendimento da poupança a torna uma aplicação nada favorável ao investidor.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *